Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

filocriatividade | filosofia e criatividade

oficinas de filosofia e de criatividade, para crianças, jovens e adultos / formação para professores e educadores (CCPFC) / mediação da leitura e do diálogo / cafés filosóficos / #filocri

filocriatividade | filosofia e criatividade

oficinas de filosofia e de criatividade, para crianças, jovens e adultos / formação para professores e educadores (CCPFC) / mediação da leitura e do diálogo / cafés filosóficos / #filocri

os porquês da palavra porquê

- formação em registo oficina sobre filosofia para / com crianças e jovens

joana rita sousa, 25.11.22

Screenshot 2022-11-06 at 11.11.26.png

👉 a formação "os porquês da palavra porquê" (6h) na Biblioteca Municipal de Palmela terminou com uma experiência de diálogo a partir das propostas do baralho #EuPensoEuEscolho (editado pela The Happy Gang). 

📚 houve ainda tempo para partilhar #livrosperguntadores!

❤️ agradeço à Biblioteca pelo convite e pela simpatia - ainda brindámos à nossa saúde (e à filosofia) com um doce moscatel de Setúbal! obrigada, Olga! 

👉 faço votos de boas leituras e bons diálogos às pessoas que participaram nestes encontros.

até breve! 🥰

 

[se pretende levar uma formação #filocriatividade à sua escola ou biblioteca escolar / municipal, entre em contacto comigo através deste formulário. as formações podem ser propostas a acreditação junto do CCPFC.]

o que significa ficar de castigo?

- oficinas o poder do diálogo: filosofia visual no 1.º ciclo

joana rita sousa, 24.11.22

Screenshot 2022-11-24 at 14.38.53.png

📷 Cláudia Almendra - Ludo Biblioteca José Jorge Letria

Observa, joga e pensa: este é o convite que as oficinas “o poder do diálogo” lançam às crianças do 1.º Ciclo do Ensino Básico. A dinamização está a cargo de Joana Rita Sousa, filósofa, perguntóloga e mestre em filosofia para crianças.

Estas oficinas giram em torno das propostas da filosofia visual (Wonder Ponder), onde o trampolim para o diálogo são imagens com cenas que provocam o pensamento e o diálogo.  (via agenda 360 Cascais)

 

Cultura Cascais - oficinas nas Bibliotecas Municipais

 

dialogar sobre a escola e a liberdade

joana rita sousa, 10.11.22

2.png

para crianças dos 7 aos 11 anos

 

👀 conhece a história de Malala através deste vídeo.

👉 perguntas para pensar a partir da história da Malala:

Ir à escola é uma forma de ser livre? Porquê?

Se pudesses escolher entre ir ou não ir à escola, o que escolhias? E porquê?

 

👉  sugestão de actividade para pensar a liberdade 

Se a liberdade fosse um objecto, qual seria?

Porquê esse objecto?

nota: cada pessoa escolhe um objecto para simbolizar a liberdade e justifica a sua ideia. podem dialogar sobre as escolhas de cada pessoa e as razões que apresentam.

 

bons diálogos!

 

*

se aprecia os conteúdos que partilho aqui, sugiro que:

📍 partilhe o artigo com outras pessoas que possam ter interesse;

📍 subscreva a newsletter #filocri e recebe conteúdos sobre educação e filosofia para / com crianças e jovens.;

📍 participe numa das minhas formações ou oficinas - agenda disponível aqui;

📍 apoie a filocriatividade através da plataforma buy me a coffee.

 

 

filosofia para crianças em Cascais

joana rita sousa, 08.11.22

 

Observa, joga e pensa: este é o convite que as oficinas “o poder do diálogo” lançam às crianças do 1.º Ciclo do Ensino Básico. A dinamização está a cargo de Joana Rita Sousa, filósofa, perguntóloga e mestre em filosofia para crianças.

Estas oficinas giram em torno das propostas da filosofia visual (Wonder Ponder), onde o trampolim para o diálogo são imagens com cenas que provocam o pensamento e o diálogo. 

24 de novembro das 10h30 às 11h30
- Biblioteca Infantil e Juvenil
- com o tema “mundo cruel” [o que significa ficar de castigo?]
- inscrições: 214 815 326/7 

25 de novembro das 10h30 às 11h30
- Biblioteca Municipal de Cascais - Casa da Horta da Quinta Santa Clara
- com o tema “eu, pessoa” [como sabes que não és um robot?]  
- inscrições: 214 815 418 

Público-alvo: alunos do 1.º ciclo

 

informações > 360 Cascais

Tenho um adolescente. E agora?

- programa de Sara Rodi no Canal S+

joana rita sousa, 08.11.22

1666267547063.jpg

/ participação no programa “Tenho um Adolescente. E agora?” dedicado ao Pensamento.

👉 com Sara Rodi (escritora, aqui no papel de moderadora da conversa) e Francisco Gonçalves Ferreira (psicólogo fundador da Casa Estrela-do-Mar, Centro Terapêutico para Adolescentes e Famílias)

para ver ou rever online, no Canal S+

#CentenarioSaramago: parar para pensar a partir das obras e das palavras de José Saramago

joana rita sousa, 02.11.22

👉 desde o início das comemorações do Centenário Saramago que tenho vindo a dinamizar oficinas de filosofia (para crianças e/ou jovens) inspiradas nas obras e nas palavras do escritor José Saramago. 

9v26oKDn.jpg

estas são as oficinas que criei a partir de obras como A Maior Flor do Mundo, O Lagarto e uma edição de compilação de pensamentos de Saramago:

📍 jardim de infância e 1.º ciclo: jardim de pensamentos

📍1.º e 2.º ciclos: inventar o que já existe

📍3.º ciclo e secundário: a importância das convicções e (o ponto e) a interrogação

 

*

estas  (e outras) oficinas #filocri estão disponíveis para viajar até à sua sala de aula, biblioteca escolar ou municipal - para tal, contacte-me através deste formulário

 

Comment parler de la mort avec les enfants ?

joana rita sousa, 01.11.22

560x315_gettyimages-145058286.webp

Quelles ressources sont disponibles pour nous aider à répondre à leurs questions ?

Avec

  • Hélène Romano Docteur en psychopathologie, expert pour les tribunaux

  • Edwige Chirouter Maîtresse de conférences en sciences de l'éducation

  • Florence Gaiotti Maitresse de conférences à l'INSPE (Institut national supérieur du professorat et de l'éducation) des Hauts-de-France, rattachée au laboratoire Textes et Cultures de l'Université d'Artois

  • Veltman Florian Co-créateur du jeu vidéo How to say goodbye

 

para ouvir AQUI 

 

livros para adolescentes - algumas recomendações

joana rita sousa, 18.10.22

1.png

"joana, podes recomendar livros para a minha filha adolescente?" - esta pergunta cai na minha caixa de DM de vez em quando.

📍 a minha resposta imediata é: que interesses é que a sua filha tem?

gosta de futebol? se sim, procure um livro sobre futebol.

gosta de ficção? procure um livro de ficção.

gosta de uma série? procure livros sobre ou à volta dessa série.

julgo que este caminho será uma via possível para dar a ler.

 

📍aqui na minha biblioteca tenho alguns livros que me fazem companhia nas oficinas para adolescentes e também nos clubes de leitura que vou dinamizar; a saber:

- aqui é um bom lugar, supergigante, desvio e mary john de Ana Pessoa (Planeta Tangerina) - recomendação PNL2027; 

- gosto, logo existo, de Isabel Meira e Bernardo P. Carvalho (Planeta Tangerina) - recomendação PNL2027;

- heartstopper, de Alice Oseman (Cultura Editora) - recomendação PNL2027;

- coisas que acontecem, de Inês Barata Raposo e Susa Monteiro (Bruaa Editora) -  recomendação PNL2027;

- a elegância do ouriço, de Murial Burbery (Editorial Presença).

 

já conhece estes livros? como foi a leitura?

se não conhece, que tal visitar a sua biblioteca municipal e consultar um destes títulos?

 

este artigo foi útil para si? partilhe com outras pessoas interessadas.

se possível contribua para este projecto através da plataforma buy me a coffee

O ócio criativo

- uma reflexão de Vitor Lima (INÉF)

joana rita sousa, 12.10.22

 

O que é ócio criativo?
Em uma frase: é fazer por fazer.
Em duas frases: é fazer algo sem esperar outra coisa além desse algo, é fazer de modo livre.
E o que é fazer de modo livre?
Liberdade, aqui, adquire o sentido daquilo que não é determinado por outra coisa além de si própria. Se alguém manda você trabalhar, então não é livre. Se você trabalha sem ninguém mandar, então você é livre.
Mas há uma nuance importante.
Trabalhar, pela própria natureza, já é algo que fazemos por necessidade, não por escolha. Trabalhamos porque precisamos retirar do trabalho nosso sustento. Se "precisamos", então não fazemos por escolha.
A única hipótese de você trabalhar por deliberação é quando você já não precisa trabalhar para se sustentar. Aí você trabalha livremente.
Mas há outra nuance aqui.
Se você trabalha só porque não consegue ficar parado, então não trabalha livremente, mas para fugir de si próprio. Ainda que você não precise de uma atividade para seu sustento, se você escolhe fazê-la só porque, caso não faça, o nada fazer seria enlouquecedor, então novamente você está em negação do ócio, isto é, no negócio.
Feitas essas ressalvas, você percebe o quanto ser livre em uma ação é difícil.
O que requer mais esforço não é trabalhar – o que todos fazem, querendo ou não.
O que requer mais esforço é fazer algo por fazer – o que requer um nível de liberdade e de atenção para consigo mesmo  raramente alcançados.

 

semanalmente o INÉF partilha reflexões com as pessoas subscritoras da sua newsletter - pode subscrever AQUI 

outros textos do Vitor Lima que pode ler aqui no blog: conhece-te a ti mesmoo erro como porta para o inesperado e um contributo para pensar se há respostas certas ou erradas na filosofia

o dstgroup e a filosofia - uma relação de amor à sabedoria

joana rita sousa, 04.10.22

310368692_2833623156782637_8179075889729678708_n.j

(imagem: facebook dstgroup)

 

"A Filosofia não tem merecido, por parte das diversas organizações, das empresas e das instituições, o acolhimento que lhe deveria ser dado. (…) No entanto, é a disciplina mais bem preparada para esta missão pedagógica. Uma empresa que se deixe impregnar pelo sentido crítico, pelo questionamento, pelas inquietações dos grandes filósofos e que, a partir deles, coloque as questões certas para cada problema, para cada desafio, produzirá, certamente, com outra qualidade e será uma empresa que contribuirá para transformar o nosso planeta num mundo mais humano, mais vivível, mais pacífico, mais feliz e habitável para todos”, sublinha José Manuel Martins Lopes, diretor da FFCS. (via ECO)

 

depois de ser notícia em 2020 com a disponibilização de uma pós-graduação em filosofia para os seus trabalhadores, a empresa dstgroup volta a apostar na filosofia como eixo de formação.

“Os trabalhadores precisam de ferramentas para construírem soluções de vida boa e virtuosa. A filosofia treina, dá elasticidade ao pensamento e apura o sentido crítico. Permite ganhos de liberdade e de responsabilidade maiores e com estes ganhos a competitividade pessoal e coletiva aumenta. Decidimos pela formação de filosofia porque dependemos da criatividade dos nossos trabalhadores”, garante José Teixeira, presidente do Grupo DST. (via O Minho)

 

sou uma forte adepta da presença da filosofia nos mais diversos espaços, incluindo as empresas.

considero que esta oferta formativa será certamente enriquecedora para os seus trabalhadores, enquanto pessoas que trabalham e, sobretudo, enquanto pessoas humanas. 

 

"Quero que os meus trabalhadores sejam o mais cultos e cosmopolitas possível, para haver coerência neste ethos empresarial, nesta personalidade empresarial. Ser eu sozinho, era uma fraude. É evidente que me dá muita paz e me faz dormir bem, ver que esta cultura – da dúvida, da inquietação, da beleza, da leitura – se vai propagando e ocupando cada vez mais espaço e território. ” José Teixeira Presidente do conselho de administração do dstgroup (via ECO)

 

leia o mais recente artigo no Público de 16 de Outubro: "Há uma empresa de construção que dá aulas de Filosofia aos trabalhadores para ser mais competitiva"