Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

filocriatividade | filosofia e criatividade

oficinas de perguntas, para crianças / para pais e filhos | formação para professores e educadores (CCPFC) | #filocri | #filopenpal | #FilosofiaAoVivo

filocriatividade | filosofia e criatividade

oficinas de perguntas, para crianças / para pais e filhos | formação para professores e educadores (CCPFC) | #filocri | #filopenpal | #FilosofiaAoVivo

Believers and Doubters - Steve Williams

tumblr_8d48e8f96df2ab32ac3de6d7de4fc01a_ec447b54_5

 

The believing and doubting game was invented by Peter Elbow (‘Writing Without Teachers’, Oxford University Press, 1974). I’ve used it many times in an adapted way for P4C and in other educational contexts.



IN GROUP DIALOGUE


1. A view is advanced by pupils or the teacher. First, all members of a group work together to support the view. They try to come up with the best justifications they can. The are ‘believers’. Then they all switch perspective and turn into ‘doubters’. They try to list the best reasons to doubt the view in question.

2. After the whole group has worked together, individuals can then consider the points raised and seek clarification and understanding by asking questions. Then put forward their own judgements and give
reasons. Those reasons often involve an explanation of which justifications, doubts and criticisms were most important to them.


ADVANTAGES


1. Finding a worthy rival. Many facilitators of group dialogue will say: “Imagine what someone who disagreed with you might say”. This is a good move but rarely one that is taken seriously enough. It’s a worthwhile challenge to make the best argument you can against your own. The believers and doubters game is a structured activity to make sure rival ideas are explored.

2. Delaying the influence on the outcome of the most dominant, respected or articulate members on the group. Those members begin by putting their influence and abilities to use trying to support arguments other than their own.

3. Taking the pressure off one member of the group who is might otherwise be arguing alone for a point of view.

The believing and doubting game is a simple and effective activity that can be used for small-group breakouts or in whole-group discussions.



IN READING

When reading texts, students can be encouraged to read first as 'believers' (wanting to understand fully what a writer has to say) and then as 'doubters' (with their own flow of critical questions in response to the text).



IN WRITING

Writers can be encouraged to read their own writing as they would read texts written by others – first, by making their own arguments and perspectives as strong as possible and second, by doubting and
questioning what they write in order to uncover weaknesses and imagine responses from other readers with different perspectives.

 

Steve Williams

agenda #filocri [no instagram]

11 de Agosto, quarta

18h (hora de Lisboa, Portugal) - 17h (hora dos Açores) - 14h (hora do Brasil)

> #filocriCONVIDA Elisa Oliveira, professora de filosofia para crianças no Brasil 

#filocriconvida_elisa_FEED.png

 

21 de Agosto, sexta

12h30 (hora de Lisboa, Portugal) - 11h30 (hora dos Açores)

> #FilosofiaAoVivo com Christine de Pizan 

 

2.png

 

 

18h (hora de Lisboa, Portugal) - 17h (hora dos Açores) - 14h (hora do Brasil)

> #filocriCONVIDA Fabiana Lessa, professora de filosofia 

 

#filocriconvida_fabi_FEED.png

 

acompanhe os directos no instagram filocriatividade

 

 

continuamos a pensar DENTRO da caixa e a desafiar a criatividade

Copy of Copy of 3.ª edição 14 e 16 de Julho 1inscrições abertas para a 3.ª edição das oficinas de criatividade:

pensar DENTRO da caixa - 14 e 16 de Julho 18h30-21h30 [online]

iniciativa: Bertrand Livreiros

 

(UPS! ESGOTADO!)

 

4.ª edição: 28 e 30 de Julho 18h30-21h30  [online]

inscrições abertas junto da Bertrand Livreiros 

Laboratorio Filosófico sobre la Pandemia y el Antropoceno

- Red Española de Filosofía (REF)

La Red Española de Filosofía (REF) ha decidido crear un Laboratorio Filosófico sobre la Pandemia y el Antropoceno, al que abreviadamente llamaremos el laboratorio, con un triple propósito:

  • Reunir en un archivo o repositorio digital las reflexiones filosóficas escritas y audiovisuales que se vayan publicando en torno a estas cuestiones.
  • Abrir un foro de debate, un espacio de discusión en el que puedan participar todas las personas interesadas de la comunidad filosófica iberoamericana.
  • Informar de noticias sobre la pandemia y el antropoceno que tengan relevancia filosófica o bien se refieran a actividades filosóficas relacionadas con estos asuntos.

 

Para saber como contribuir ou acompanhar este trabalho, visite o website do Laboratório

 

cropped-Logo-Color-1.png

 

já conhece a academia GERADOR?

Prof_joana-1365x1024.jpg

olá, Academia Gerador!

é muito bom voltar a colaborar com o Gerador, um projecto que me permitiu tomar café com pessoas que fazem parte da cena cultural portuguesa. durante algum tempo entrevistei (ou melhor, conversei com) pessoas na rubrica Café Central, para a revista Gerador.

recentemente fui convidada para fazer parte da Academia Gerador, onde a filosofia e a criatividade marcam presença com uma oficina para famílias.

 

Familia_Filosofia_4x3_v2.png

 

Filosofia e criatividade na gestão do tempo

oficina online sobre filosofia e criatividade, para arrumar as ideias – e os dias.

 

nos dias de hoje a fronteira entre o trabalho, a escola e a família revela-se uma linha muito ténue. precisamos de nos organizar para fazer a gestão quase simultânea de todas estas dimensões.

e se o pudermos fazer de forma criativa e divertida? há muitas técnicas de criatividade que nos podem ajudar no dia-a-dia, seja no contexto profissional ou pessoal.

neste workshop recomendado para ser feito em família, todos vão ficar a conhecer algumas ferramentas que ajudam na gestão de tempo.

de forma prática e simples, por aqui aprende-se a arrumar ideias e os nossos dias.

 

quando acontece a oficina?

no domingo, dia 5 de julho às 11 horas. 

 

mais informações no website GERADOR 

 

What Is Freedom? Teaching Kids Philosophy in a Pandemic

Thinking about big questions empowers children to feel more confident about the value of their own i

Screenshot 2020-06-25 at 22.11.59.png

“We don’t really need going to school,” Ella Wagar, a 10-year-old from Seattle, told her online peers during a recent Zoom session. “What we really do need are friends. If you don’t have friends, it sucks; you play alone, you eat alone.”

 

leia o artigo completo no The New York Times 

 

 

online seminar session by Prof. Felix García Moriyón

Online Seminar Session of P4C-AIM

We warmly invite everyone to a talk by Prof. Felix García Moriyón (Universidad Autónoma de Madrid) Tuesday at 5:30 (GMT +1).

Prof. Félix García Moriyón is a leading figure of Philosophy for Children and honorary professor at Department of Didáticas específicas (UAM) and a teacher for more than 35 years.

https://videoconf-colibri.zoom.us/j/95024051252?pwd=N1llWXhodDIxUG9BRnZKMWR6aloyUT09

Please email Dina Mendonça - md@fcsh.unl.pt for further details
 

100060961_2990738141016310_8488975188069711872_n.p

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

filosofar em Faro

tumblr_67f74b15ef19f9a36542a47ec6ecd6ba_e1749336_5

nos passados dias 24 e 25 de janeiro estive em Faro, a convite da Biblioteca Municipal , para realizar oficinas no 1.º ciclo e oficinas para as famílias. pelo meio houve ainda uma formação introdutória à filosofia para crianças, destinada a professores, educadores, pais e agentes educativos.

 

o que é uma pergunta? 

na oficina do 3.º ano estivemos a investigar "o que é uma pergunta?", procurando os critérios que fazem com que uma frase seja uma pergunta.

no final, uma das alunas disse: "quando vi o jogo pensei que ia ser fácil: é só ler uma frase e dizer. mas depois às vezes acaba por ser difícil."

neste jogo apressento uma série de cartas com frases escritas. temos de dizer se o que lá está escrito é ou não uma pergunta.

o que faz com que uma frase seja uma pergunta? para este grupo, isso acontece quando queremos saber uma coisa, quando queremos ter a certeza de uma coisa que já sabemos, quando há um ponto de interrogação, quando queremos saber da vida. 

 

"eu concordo com a G., mas também não concordo"

já no 4.º ano estivemos a filosofar a partir de uma das propostas WonderPonder. a imagem passou por todas as pessoas presentes na sala e depois fizemos perguntas sobre o que vimos. o passo seguinte foi o de tentar juntar perguntas, de verificar se havia temas onde podíamos arrumar as perguntas. 

houve momentos muito interessantes, nomeadamente quando a M. afirmou que concordava com a G., mas também não concordava. ao mesmo tempo! - o que trouxe uma oportunidade para analisarmos as razões que suportavam o concordar e o não concordar e verificar se podiam seguir juntas ou se eram incompatíves.

outro momento interessante aconteceu quando o R. disse: "eu não concordo com a G., e desculpa G., pois não é nada contra ti, é mesmo só com a tua proposta." - este momento serviu para sublinhar que nestas oficinas estamos a trabalhar com as ideias uns dos outros e por isso dizer "não concordo" não deve ser entendido como um ataque pessoal, mas sim à ideia. 

 

tumblr_c8687f54d3b1f804fed22b7881530c3c_2778d401_5

 

FILHOsofia: filosofia para as famílias 

com as famílias e as crianças (entre os 4 e os 7 anos) estivemos a trabalhar em torno de um dos meus jogos preferidos: "o que é uma pessoa?". uma vez que este jogo tem como base imagens/fotografias torna-se apelativo para esta franja etária. o objectivo é arrumarmos aquilo que vemos nas folhas numa de duas gavetas imaginárias: a gaveta da pessoa e a gaveta de não é uma pessoa. 

 

no final da oficina para as famílias, falámos sobre o jogo que estivemos a fazer:

"foi giro nas coisas que tentámos descobrir"
"foi divertido e muito difícil"
"não gostei porque foi muito difícil"
"ajuda a reflectir em muitas coisas"
"foi muito divertido ver o que as coisas eram"
"foi muito curioso ver a resposta deles [das crianças]"

 

tumblr_0988bb284433f4a9cfd90cbe86c92d3c_8e79203e_5

os porquês da palavra porquê

houve ainda uma oficina de introdução à filosofia para crianças e jovens, onde foram partilhados recursos de trabalho, exemplos de oficinas que permitem ilustrar que o diálogo que se pretende neste contexto é algo mais do que uma simples conversa. exige compromisso com o que dizemos, exige não ter pressa e não saltar passos no processo do pensamento, exige tomar consciência do que é dito, exige escutar os outros. sim, é muito exigente e, ao mesmo tempo, muito divertido.

 

obrigada pelo convite e pelo acolhimento por parte da Biblioteca Municipal de Faro.

até breve!

 

Mais sobre mim

O que faço?

Filosofia é coisa para miúdos

Fórum na Revista Dois Pontos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D