Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

filocriatividade | filosofia e criatividade

oficinas de perguntas, para crianças / para pais e filhos | formação para professores e educadores (CCPFC) | #filocri | #filopenpal | #FilosofiaAoVivo

filocriatividade | filosofia e criatividade

oficinas de perguntas, para crianças / para pais e filhos | formação para professores e educadores (CCPFC) | #filocri | #filopenpal | #FilosofiaAoVivo

no dia do livro infantil: 5 livros perguntadores

 

no dia do livro infantil reuni cinco títulos de #livrosperguntadores para partilhar consigo.

o que são #livrosperguntadores?

há muitos livros que carregam perguntas: no seu interior e até na capa.
refiro-me a livros com perguntas na capa e também livros que carreguem perguntas lá dentro.

 

eis as minhas sugestões:

 

Duck! Rabbit!, de Amy Krouse Rosenthal e Tom Lichtenheld, (Chronicle Kids)

- um livro que me me faz viajar até ao filósofo Ludwig Wittgenstein e Investigações Filosóficas, para pensar na questão de percepção.

 

Barafunda, de Afonso Cruz e Marta Bernardes, ilustrado por José Cardoso (Caminho)

- um livro em diálogo que arruma e desarruma ideias em cada página.

 

Il Bárbaro, de Renato Moriconi (Gallucci)

- ouvi falar deste livro numa oficina com o Afonso Cruz e fiquei rendida à sua proposta. É um livro sem texto, para descobrir a vida do guerreiro. quem é ele? que batalha está a travar? de que lado da batalha se encontra?

 

Para que serve?, de José Maria Vieira Mendes e Madalena Matoso (Planeta Tangerina)

- pode ler-se na contracapa: “Eu sou um livro que gosta de fazer perguntas. Eu gosto mais de um mundo com perguntas do que de um mundo com respostas porque eu gosto de investigar e também gosto de confundir.” – e eis a razão para este livro constar na categoria de livro perguntador!

 

A grande fábrica das palavras, de Agnès de Lestrade e Valeria Docampo (Paleta de Letras)

- é um livro recomendado pelo PNL2027 e foi um livro que a Júlia Martins me deu a descobrir. não quero dizer muito sobre a história que é surpreendente e levanta muitas perguntas: o que fazer com poucas palavras? como dizer o mundo com palavras contadas? (de repente estou no 1984, de George Orwell, a pensar em todo aquele esforço feito pelo governo para reduzir as palavras do povo, criando a Novilíngua).

 

tem outras sugestões de #livrosperguntadores para celebrar o dia do livro infantil?

partilhe nos comentários!

 

sugestões de leitura em voz alta para crianças de 3 anos

hoje, no instagram, surgiu esta pergunta via INÉF :

 

"o meu filho tem 3 anos.

como iniciar filosofia?

dicas de leitura em voz alta."

 

a minha resposta é simples: iniciar filosofia, aos 3 anos, passa por criar espaços e tempos para a prática da curiosidade.

um livro ilustrado, sem texto, pode ser lido em voz alta e permite a prática da curiosidade. os livros da Suzy Lee, como Onda e Espelho são muito provocadores. por outro lado, livros como Balbúrdia também têm um efeito muito provocador. 

nestas idades (3 ou 4 anos) é importante criar momentos de leitura partilhada, dando oportunidade para a criança manusear o livro e descobri-lo.

"mas joana, a criança não sabe ler!" - se é nisso que está a pensar, convido/a a re-pensar o conceito de leitura. LER não se limita a juntar letras que formam palavras e por aí fora.

LER é criar sentido, interpretar as imagens, descobrir uma página e depois a página. nem sempre precisamos de ler as palavras que lá estão escritas para poder ler a história.

 

Copy of ler_3 anos_filosofia.png

 

 

 

 

5 livros para pensar a felicidade

 

Hoje comemora-se o dia internacional da felicidade. Aproveito a ocasião para partilhar alguns livros que podem ser um verdadeiro trampolim para perguntar e pensar o que é a felicidade.

💥 o que é a felicidade?, de Oscar Brenifier , publicado na Dinalivro
👉 este livro apresenta várias perguntas e possibilidades de resposta, convocando-nos constantemente a (re)pensar a felicidade.

💥 o jaime é uma sereia, de Jessica Love, publicado na Fábula
👉 ainda que não haja "felicidade" no título, esta é uma história sobre aquilo que nos faz diferentes - e felizes!

💥 enciclopédia dos verbos felizes, do Marco Taylor
👉 página a página, somos provocados a pensar nos verbos que nos fazem felizes.

💥 o sentido da vida, de Oscar Brenifier publicado na Edicare
👉 pensar no sentido da vida implica, a dado momento, pensar se a felicidade norteia essa busca. um livro para praticar o parar para pensar

💥 um dia de cada vez, de Paulo Galindo e David Machado 
👉 há felicidade na vida pandémica? que felicidade nos traz o dia de amanhã? e o de hoje?

já me aconteceu perguntar em oficinas de filosofia: "o que é a felicidade?" - e alguém sugerir que se procure o significado num dicionário, para ajudar a responder.

pergunto-lhe agora: o que é a felicidade? pode consultar o dicionário, perguntar a alguém aí em casa, desenhar a felicidade, procurar a resposta enquanto caminha, desafiar as crianças aí de casa a responder.

partilhe a sua resposta nos comentários.

bom sábado!

 

semana da leitura - de 8 a 12 de março

PNL2027

Ler! A qualquer hora, em qualquer lugar!

 

banner_portal.jpg

 

de 8 a 12 de março, o PNL2027 apresenta um conjunto de actividades online a propósito da semana da leitura:

Este ano em versão online, convidamos as escolas e entidades públicas e privadas a promoverem atividades para festejar a leitura como ato de prazer, de imaginação e lugar de encontro, criativo e colaborativo.

 

no dia 12 de março, sexta às 21h, estarei no instagram a conversar com a Júlia Martins, da equipa PNL2027, sobre Livros Perguntadores. 

 

programasl2021.png

 

 

Em que pensas tu?

20210207_134128.jpg

Em que pensas tu?

Laurent Moreau é o autor deste livro que nos ajuda (literalmente) a visitar a cabeça de várias pessoas e os seus pensamentos.

 

EM QUE PENSAS TU? é um livro da autoria de Laurent Moreau, publicado n' O Bichinho de Conto. Foi lançado na Feira do Livro, em 2017, e eu tive a oportunidade de participar neste lançamento, na companhia da Dora Batalim, da Paula Cusati e da Mafalda Milhões.

Ao comprar um livro está a ajudar!

- iniciativa da Livros Horizonte até 28FEV

 

a editora Livros Horizonte tem um catálogo muito perguntador na secção de livros-album. Famílias Destrambelhadas é um dos meus títulos preferidos, assim como Quando a Tristeza Chama, o Cuquedo e tantos outros que também são recomendados pelo PNL2027.

 

aproveite para visitar o website e comprar um livro - até ao dia 28FEV a editora "lança uma campanha de angariação de fundos em prol da oncologia pediátrica. A campanha inicia-se hoje, dia 15 de fevereiro, data em que se assinala o Dia Internacional da Criança com Cancro e termina a 28 de fevereiro, e por cada livro que adquirir em www.livroshorizonte.pt, 1€ reverte a favor da Fundação."

 

campanha_FROC-11geraljpg.jpg

 

desafio #cromoterapialiteraria do Kit Literário

EuyAVmrXUAUmz4W.jpg

durante esta semana a cor do desafio #cromoterapialiteraria da Rita, do Kit Literário, é o preto.

é a minha cor preferida de sempre e noto que não é uma cor muito comum nos livros infantis. acabei por adicionar nesta partilha livros que não são infantis, como o Thinking Moves (a proposta sobre metacognição da equipa Dialogue Works). 

 

conhece algum destes livros? qual? 

Será?

20210207_134017.jpg

 

Uma Mesa é uma Mesa. Será?

em #livroperguntador que nos ajuda a pensar como é que um objecto tão comum, como uma mesa, pode ser entendido de formas tão diferentes.

a partir daqui podemos pensar noutros objectos polissémicos.

 

Uma Mesa é uma Mesa. Será? é um livro da autoria de Isabel Martins e Madalena Matoso e está publicado na Planeta Tangerina.

uma oficina de filosofia sobre felicidade

- oficina do Platão para crianças dos 7 aos 12 anos

EusxO_YWQAcNdjE.jpg

a felicidade

pretendia trabalhar o tema da felicidade, inspirada pelo livro Enciclopédia dos Verbos Felizes, de Marco Taylor. este livro fez-me ir à estante buscar um outro que também aborda a felicidade e a simplicidade: Selma, de Jutta Bauer. pensei em ler um ou outro no início da oficina, mas dei por mim a fazer uma agenda de discussão com exemplos de coisas que nos deixam felizes.

a leitura do capítulo Hapiness, no livro de Marietta McCarty, Big Little Minds, reforçou a ideia do trabalho em torno da simplicidade e das coisas que nos deixam (ou não felizes). este livro de McCarty é uma boa fonte de ideias para oficinas de filosofia, encontrando-se organizado por temas. a autora faz várias referências a filósofos. no tema da felicidade as referências são Epicuro e Charlotte Joko Beck; desta forma a autora procura dar suporte filosófico ao tema e também apresenta sugestões de trabalho com crianças e jovens. 

 

mais uma vez, o quantos queres

listei oito exemplos de coisas que nos deixam felizes (ou não) e escrevi esses exemplos no interior de um quantos queres. estava desenhada a oficina:

- apresentar o livro Enciclopédia dos Verbos Felizes como inspiração para pensarmos sobre a felicidade e para a criação do jogo;

- apresentar o jogo do quantos queres: uma pessoa diz um número para brincar com o quantos queres, outra pessoa escolhe  cor, eu leio o que está lá dentro e depois temos um tempo para pensar se aquilo que li é uma coisa que nos deixa felizes  ou não e porquê.

 

o que é uma enciclopédia? 

assim que li o título do livro do Marco Taylor eis que surgiu a questão. o que é uma enciclopédia?

pois é... não é claro para todos o que é uma enciclopédia. é parecido com um dicionário? é diferente? o que se procura lá? que aspecto tem? e foi nesse contexto que um dos volumes da LOGOS apareceu nesta oficina.

uma vez esclarecido este ponto começámos a jogar ao quantos queres.

 

não ter telemóvel - é uma coisa que te deixa feliz? 

"depende" - foi uma das respostas ouvidas. depende do quê, exactamente? esta resposta foi bastante útil para explorarmos um pouco o que é que o "depende" quer dizer, já que é uma resposta comum. será uma forma de fugir à resposta? será que significa indecisão? será que é uma forma de pedir contexto para poder definir um posicionamento? 

toda a oficina girou em torno do "não ter telemóvel". além de termos falado do modo como "usamos" o depende no diálogo, abordámos a questão do tempo que dedicamos à tecnologia, das coisas que o telemóvel nos dá, das coisas que o telemóvel nos tira - e da felicidade que isso nos dá (ou não).

 

a lista de coisas 

uma vez que dedicámos uma hora inteira a pensar naquela ideia, no final partilhei as outras coisas que estavam no quantos queres: 
-  arrumar o quarto
- fazer os trabalhos da escola
- o cheiro de um bolo acabado de fazer
- a felicidade de um amigo
- não ter telemóvel
- crescer e tornar-me adulto/a
- apanhar chuva no passeio com o meu cão
- ter uma boa nota na escola

 

EusxNmwXIAMw-Ry.jpg

 

voltei à Enciclopédia dos Verbos Felizes para partilhar o livro com o grupo. abri página a página e partilhei as ilustrações do Marco. do outro lado houve sorrisos e também acenos com a cabeça, como que a dizer "não, não, isso não é algo que me deixa feliz".  já não houve tempo para explorar concordo / não concordo nem as razões.

ficou a sugestão de cada um dos participantes fazer um quantos queres em casa para pensar sobre estas coisas (ou outras) .

 

Paz Traz Paz

20210207_120234.jpg

 

"(...) o mal é contagiante e pode
ser pequenino e insignificante, mas
pode crescer e crescer e crescer e crescer e
vir a matar milhões de pessoas, porque o mal
tem muita vontade de devastar.
A boa notícia
é que o bem também contagia, também pode ser uma pandemia
e tem um nome muito simples e fácil de decorar:
Paz traz paz.
Que tem como consequência o fenónmeno
chamado
ser ser humano."
.
(Paz traz paz, de Afonso Cruz, publicado na Companhia das Letras, p.109)

 

Mais sobre mim

O que faço?

Filosofia é coisa para miúdos

Fórum na Revista Dois Pontos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D

subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub