Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

filocriatividade | filosofia e criatividade

>> oficinas de filosofia, para crianças, jovens e adultos >> formação para professores e educadores (CCPFC) >> nas redes sociais: #filocri | #filopenpal | #FilosofiaAoVivo

filocriatividade | filosofia e criatividade

>> oficinas de filosofia, para crianças, jovens e adultos >> formação para professores e educadores (CCPFC) >> nas redes sociais: #filocri | #filopenpal | #FilosofiaAoVivo

o diálogo e o compromisso com a verdade

 

"A Community of Inquiry is neither teacher- centered and controlled nor student-centered and controlled, but centered on and controlled by the demands of truth. Truth is absolutely essential to this method; it is only because of progress toward truth that participants are ultimately convinced of the fruitfulness of the process. Truth, however, is a hard taskmaster; it places severe restrictions on participants and puts exacting demands on the facilitator." 

 

Susan Gardner - Inquiry is no Mere Conversation (or Discussion or Dialogue)

FACILITATION OF INQUIRY IS HARD WORK!

 

 

jack-b-mBJPFAsSON0-unsplash.jpg

 

 

gugudadá - ou da importância das palavras "difíceis"


"Entre as críticas mais comuns apontadas a alguns livros de literatura infantil-juvenil, há uma que me comove particularmente: as crianças não devem ler nos livros que lhes são dirigidos palavras que não conhecem. Eu próprio já cometi a ousadia de ter na capa de um álbum ilustrado a palavra "misantropo" (...) Não é uma "palavra infantil" e não devemos expor as crianças a tamanho perigo. Pode dar-se a fatalidade de, depois disso, ficarem a conhecer o significado de mais uma palavra e chegarem a adultas sabendo mais do que gugudadá."

 




Afonso Cruz

- O Vício dos Livros, p. 107

 

 

5 livros para pensar a felicidade

 

Hoje comemora-se o dia internacional da felicidade. Aproveito a ocasião para partilhar alguns livros que podem ser um verdadeiro trampolim para perguntar e pensar o que é a felicidade.

💥 o que é a felicidade?, de Oscar Brenifier , publicado na Dinalivro
👉 este livro apresenta várias perguntas e possibilidades de resposta, convocando-nos constantemente a (re)pensar a felicidade.

💥 o jaime é uma sereia, de Jessica Love, publicado na Fábula
👉 ainda que não haja "felicidade" no título, esta é uma história sobre aquilo que nos faz diferentes - e felizes!

💥 enciclopédia dos verbos felizes, do Marco Taylor
👉 página a página, somos provocados a pensar nos verbos que nos fazem felizes.

💥 o sentido da vida, de Oscar Brenifier publicado na Edicare
👉 pensar no sentido da vida implica, a dado momento, pensar se a felicidade norteia essa busca. um livro para praticar o parar para pensar

💥 um dia de cada vez, de Paulo Galindo e David Machado 
👉 há felicidade na vida pandémica? que felicidade nos traz o dia de amanhã? e o de hoje?

já me aconteceu perguntar em oficinas de filosofia: "o que é a felicidade?" - e alguém sugerir que se procure o significado num dicionário, para ajudar a responder.

pergunto-lhe agora: o que é a felicidade? pode consultar o dicionário, perguntar a alguém aí em casa, desenhar a felicidade, procurar a resposta enquanto caminha, desafiar as crianças aí de casa a responder.

partilhe a sua resposta nos comentários.

bom sábado!

 

semana da leitura - de 8 a 12 de março

PNL2027

Ler! A qualquer hora, em qualquer lugar!

 

banner_portal.jpg

 

de 8 a 12 de março, o PNL2027 apresenta um conjunto de actividades online a propósito da semana da leitura:

Este ano em versão online, convidamos as escolas e entidades públicas e privadas a promoverem atividades para festejar a leitura como ato de prazer, de imaginação e lugar de encontro, criativo e colaborativo.

 

no dia 12 de março, sexta às 21h, estarei no instagram a conversar com a Júlia Martins, da equipa PNL2027, sobre Livros Perguntadores. 

 

programasl2021.png

 

 

livros perguntadores - um desafio à volta de livros e de perguntas

20210207_133928.jpg

 

os livros são uma das fontes de inspiração para as minhas oficinas de filosofia. nem sempre o livro é o recurso para o diálogo, por vezes é "só" a minha fonte de trabalho e que me ajuda a criar novas oficinas, novos diálogos.

 o desafio #livrosperguntadores consiste em convidar quem segue a página filocriatividade no instagram e no twitter a partilhar uma fotografia de um livro perguntador. 

como identificar um livro perguntador? 

há muitos livros que carregam perguntas: no seu interior e até na capa. portanto, valem livros com perguntas na capa e também livros que carreguem perguntas lá dentro. na sua partilha peço que justifique a razão pela qual escolheu aquele livro. convido-a/o a pensar:

 

- a pergunta é importante para si? 

- o livro criou-lhe uma pergunta? qual?

- essa pergunta tem resposta?

- uma pergunta precisa de um ponto de interrogação? 

 

é um desafio que exige a prática do parar para pensar. quem quer participar? 

ao domingo à noite farei as minhas partilhas, mas sinta-se à vontade de partilhar em qualquer dia da semana, usando a hashtag #livrosperguntadores na sua publicação! 

 

*

 

o livro que escolhi chama-se PORQUÊ? e comprei-o numa feira do livro, numa das muitas escolas do 1.º ciclo onde já tive a oportunidade de trabalhar. 

tinha acabado a "aula" de filosofia e estava a caminhar pelos corredores quando um dos pequenos me vem chamar:

"joana, joana! anda cá! está ali um livro que é a tua cara!"

pegou-me pelo braço e levou-me até à sala onde acontecia a mini feira do livro. 

"é este! este livro é a tua cara! estás sempre a perguntar porquê!"

 

 

livros filosoficamente provocadores

- recomendações de Júlia Martins e Joana Rita Sousa

 

(clique na seta que encontra à direita

para ver as imagens e as sugestões de livros) 

 

 

mais detalhes sobre estas recomendações no instagram e no artigo publicado no PNL2027.

 

 

 

5 razões para que os adultos leiam livros infantis

tumblr_d1347c42b55e990e979b4ee7917374fb_46a2e3c7_5

 

Sempre convivi com livros, desde pequena. O gosto pela leitura e pela escrita manifestaram-se desde cedo: com um irmão três anos mais velho acompanhei os seus primeiros anos de escola e tentava copiar tudo em cadernos que a minha mãe me comprava. 

Eu e os livros

De que livros gosto? Tenho um fascínio grande pelo sentido das palavras e isso leva-me a ter dicionários de várias línguas, incluindo língua gestual portuguesa. Um dos armários que forra as paredes do home office tem livros de filosofia. Outro desses armários é inteiramente dedicado aos livros infantis. O motivo? Sou facilitadora e investigadora na área da filosofia para crianças e jovens. 

Eu, os livros infantis e a filosofia (para crianças)

Na filosofia para crianças e jovens o desafio passa por encontrar recursos que se revelem boas provocações filosóficas; que permitam a prática do parar para pensar e que sejam suficientemente abertos para permitir que as perguntas aconteçam. Regra geral, os livros infantis permitem essa prática e abertura ao perguntar. 

Adquiro regularmente livros infantis com esta “desculpa” profissional. A verdade é que defendo que os mais crescidos deveriam ler livros infantis e até partilho consigo algumas razões para o fazerem. 

Eu e (algumas) razões para que os adultos leiam livros infantis 

Partilho 5 razões para que os mais crescidos leiam livros infantis. Tome nota:

 

permitir um tempo para a imaginação 

Alguns dos meus livros infantis preferidos não têm texto: os livros ilustrados são uma oportunidade incrível para imaginar histórias a partir das páginas ilustradas. Os livros da Suzy Lee têm esse efeito e permitem praticar uma competência importante nos dias de hoje: olhar para a mesma coisa, de formas diferentes. Fica a proposta de exercício: imaginar uma história diferente sempre que lemos os livros da Suzy Lee. 

praticar a curiosidade 

As pessoas crescidas tendem a ser mais sérias e a desviar o olhar das coisas óbvias. Esta atitude faz-nos perder alguma curiosidade perante aquilo que nos rodeia. Os livros infantis obrigam-nos a ser curiosos, pois a história vai avançando e queremos saber o que se passa na página seguinte. 

as histórias 

Numa altura em que tanto se fala de storytelling importa recordar que contar histórias é algo que nos constitui enquanto seres humanos. A narrativa. O Era uma vez. Todos os dias fazia isto. E aquilo. Depois aconteceu algo que mudou tudo. – e a história caminha para o “viveram felizes para sempre” (ou nem por isso).

Um dos meus autores preferidos, o Afonso Cruz, apresenta uma história com várias histórias lá dentro no livro A Contradição Humana que, a meu ver, deveria ser lido pelos adultos, pelo menos uma vez por mês. 

a riqueza das ilustrações 

Vou repetir a importância das ilustrações por considerar que é dos grandes pontos positivos dos livros infantis. Mesmo um livro que tenha ilustrações a preto e branco será sempre mais colorido na sua leitura. Para a maioria dos crescidos, os dias têm poucos momentos coloridos e por isso recomendo a leitura de livros ilustrados, uma vez por dia, para garantir que os nossos dias têm sempre alguma cor. 

o momento de partilha entre adultos e crianças 

Quando temos crianças por perto, seja em contexto familiar ou profissional, a partilha que acontece em torno de um livro infantil é única. Escolher o livro, cheirar o livro, o contacto com as páginas, ver as letras e as ilustrações, imaginar a história ainda antes de abrir o livro: são muitos os momentos de vínculo que podemos estabelecer entre adultos e crescidos, à volta de um livro. 

 

Aproveito para partilhar dois livros infantis que conheci recentemente e que me surpreenderam: 

  • 29 histórias disparatadas, editado pela Kalandraka, da autoria de Ursula Wolfel e com ilustrações de Neus Bruguera; e
  • Famílias Destrambelhadas, editado pela Livros Horizonte, da autoria de Claudio Hochman e com ilustrações de João Vaz de Carvalho.

 

(artigo publicado no blog Joana dos Livros, em abril 2020)

para quem procura livros na área da filosofia para/com crianças e da infância

- edições NEFI - UERJ

Screenshot 2020-10-05 at 22.02.46.png

o NEFI - Núcleo de Estudos de Filosofia da UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro) proporciona há muitos anos um encontro entre autores/as e leitores/as, entre investigadores e investigadoras.

a publicação childhood & philosophy é uma referência incontornável para quem investiga na área da filosofia para/com crianças. 

recentemente foram publicados trabalhos de investigadoras portuguesas, Magda Costa Carvalho e Filipa Igrejas, que podem ser descarregados gratuitamente no website. 

Screenshot 2020-10-05 at 22.03.22.png

o trabalho da investigadora Lara Sayão sobre as Olimpíadas da Filosofia no Rio de Janeiro também está disponível para consulta e pode ser descarregado aqui.

 

A Comunidade da Infância é o contributo de David Kennedy para as edições NEFI: 

"Este livro, A comunidade da infância, é uma forma encontrada para assegurar a presença de David Kennedy entre nós, que tanto o admiramos. Entretanto, resta algo que não se sabe dizer sobre David Kennedy. Como algo que escapa, que foge ao domínio da escrita. David parece nos alertar para algo que permanece infantilmente sem palavra na linguagem. David não se apresenta de imediato. Sua escrita, em voltas, por aproximações e distanciamentos, revela conhecimentos e saberes acerca da infância para tocar aquilo que infantilmente deixou de ser enunciado e escapa à apreensão adulta dos dizeres acadêmicos. Depois de afastar-se do que foi dito, quando retorna, é pelo avesso. Nesse deslocamento necessário de um tempo presente, adulto, ele alcança uma temporalidade infantilmente disponibilizada, escrevendo sobre a infância como se estivesse por aprender a fazê-lo a cada vez."

 

vale a pena visitar o website das edições NEFI, pois nele encontra trabalhos muito ricos em torno da filosofia e da infância. 

 

 

 

 

Clubes de Leitura (online)

há dias perguntaram-me se conhecia clubes de leitura online. saltou-me à ideia o clube que o PNL (Plano Nacional de Leitura) disponibiliza na goodreads.

 

perguntei no twitter se alguém me poderia dar sugestões e aqui ficam os clubes recomendados:

 

- é desta que leio isto;

- clube do livro digital - Helena Magalhães;

- #thebibliophileclub;

- uma dúzia de livros - Rita da Nova.

 

a livraria Culsete também tem um clube de leitura que funcionará em regime 100% online ou misto (presencial e online), de acordo com a evolução da situação pandémica em Portugal. para saber mais, visite o instagram da Culsete

 

se tiver outras sugestões de clubes de leitura online, partilhe nos comentários!

 

tumblr_730ad2183040df90a41505007a80fec3_d48ea2b7_5

*

[conhece o Clube de Perguntas?]

sabia que tenho um Clube de Perguntas inspirado nos Clubes de Leitura?

é verdade, todos os meses os membros do #ClubeDePerguntas recebe um desafio na sua caixa de correio electrónico para trabalhar as perguntas. depois marcamos encontro no zoom para partilhar e falar sobre as perguntas de cada um. 

se pretende saber mais, inscreva-se aqui!

 

Mais sobre mim

O que faço?

Filosofia é coisa para miúdos

Fórum na Revista Dois Pontos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub