Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

filocriatividade | filosofia e criatividade

oficinas de perguntas, para crianças / para pais e filhos | formação para professores e educadores (CCPFC) | #filocri | #filopenpal | #FilosofiaAoVivo

filocriatividade | filosofia e criatividade

oficinas de perguntas, para crianças / para pais e filhos | formação para professores e educadores (CCPFC) | #filocri | #filopenpal | #FilosofiaAoVivo

problemas e perguntas!

- uma manhã no jardim de infância

tumblr_ad1f95c45f432e6aebdc2ba1ff2cf706_9ee8eb61_5

voltámos a visitar o jardim de infância, na companhia da criançada d'as Bolinhas de Sabão e d'a Tenda Mágica. 

com as Bolinhas de Sabão continuaram as interrogações em torno do livro Balbúrdia. afinal, o que tinha acontecido naquela história? como é que é possível que os brinquedos tenham ido atrás do menino?

"eles têm vida, joana", respondeu um dos meninos. "eles quem?", perguntei.

"os brinquedos transformam-se em robots, ganham vida e vão atrás do menino" - esta foi uma hipótese levantada por uma das crianças. tentámos investigar se isso acontece com os brinquedos lá de casa, se já alguma vez se transformaram e ganham vida. uma das crianças respondeu que não, pois "os brinquedos lá em casa estão arrumados".

outra hipótese levantada para explicar que os brinquedos tivessem ido atrás do menino, para a rua foi haver uma bola que tivesse começado a rodar e, por isso, andava. 

 

tumblr_b63b548e9455e2c080661a31100ca3cd_4a29a114_5

na sala da Tenda Mágica continuamos a explorar as diferentes linhas de pensamento. dedicámos a nossa oficina ao chapéu vermelho, das emoções. há meninos que associam o vermelho à raiva, por causa do livro "o monstro das cores". aproveitámos para falar que há vários códigos e que nos chapéus o vermelho não é só a raiva, é tudo aquilo que podemos sentir: alegria, cansaço, felicidade, tristeza ou até aborrecimento.

quando falámos do sentir, surgiu a pergunta: como é que sentimos? as ideias foram que podemos sentir com a pele, com o coração. "com o corpo todo", disse um dos meninos. e a partir daí investigámos o seguinte: como é que sabemos o que está dentro do nosso corpo, se não conseguimos ver? 

 

a investigação continua na próxima semana! 

verbo chapelar + perguntar e dizer uma coisa

= oficinas de filosofia no jardim de infância

tumblr_1e72157dfe6ba8ca7aa28f6fae3db8ea_599c71c4_5

Tenda Mágica 

nesta oficina começámos por falar do papel do chefe da sala: o que faz? quais são as suas tarefas? descobrimos que o chefe da sala usa muitas vezes o chapéu azul, aquele que nos ajuda a organizar as tarefas e os pensamentos. 

desta forma recuperámos o que já tínhamos visto sobre os seis chapéus coloridos que nos ajudam a pensar, a organizar o pensamento. 

 

tumblr_68b07f679beaf1c265376395429897ae_36550719_5

Bolinhas de Sabão 

na companhia das Bolinhas de Sabão foi tempo de descobrir o livro Balbúrdia, publicado na Pato Lógico. o exercício foi simples, ainda que difícil: página a página vamos experimentar PERGUNTAR uma coisa sobre o que vemos ou DIZER uma coisa sobre o que vemos. as cartolinas coloridas ajudam-nos a anunciar o que vamos fazer e a ganhar consciência do pensamento. depois temos de ver se efectivamente o que dizemos é uma pergunta ou é dizer uma coisa. 

 

continuaremos a filosofar na próxima oficina. 

"um código? o que é um código?"

- filosofia no jardim de infância

tumblr_bbcd18df6635d1c967bf0dc56d6c7aa2_db17b2f3_5

 

na primeira visita às salas Bolinhas de Sabão e Tenda Mágica levei na mochila meia dúzia de cartolinas às cores e meia dúzia de chapéus coloridos. 

 

Bolinhas de Sabão 

nas Bolinhas de Sabão o plano acabou por ficar mesmo na mochila pois eu cheguei atrasada devido a um acidente e pedi desculpas ao grupo por isso. ainda que eu tivesse tentado recuperar o tema do mistério para introduzir os mistérios coloridos, o G. levantou o dedo para perguntar:

"joana, o que é que tu  disseste logo quando entraste?"

pois é: o G. queria falar do acidente. e assim foi, não só o G. falou sobre acidentes, como o grupo e por isso estivemos a investigar o que são acidentes e por que razão acontecem. 

no final apresentei os mistérios coloridos para alimentar a curiosidade da criançada.

 

tumblr_737f83f73f7a4e692c34c25ca852067e_736fe056_5

 

 

Tenda Mágica 

"joana, já não vinhas cá há muito tempo!" - é verdade, passou um mês desde a última visita da filosofia na Tenda Mágica. e aconteceu muita coisa desde então: o natal, o ano novo, os reis. 

levei a mochila para o centro da roda para ir tirando coelhos da cartola, perdão, chapéus às cores da mochila. 

depois do trabalho sobre o livro "em que estás a pensar?" e os desenhos sobre os pensamentos que estão na nossa cabeça, chegou a hora de conhecer uns chapéus especiais que nos ajudam a pensar de forma mais clara. 

"hoje vamos conhecer uma espécie de código para nos ajudar a pensar!" - disse. "o que é um código?", perguntou o D., abrindo a conversa para começarmos a falar dos códigos que já conhecemos (por exemplo, os sinais de trânsito, o verde e o vermelho para atravessar a passadeira). após essa invesigação, começámos a falar de cada um dos chapéus e do que significam. 

na próxima oficina vamos continuar este trabalho de "pensar pensamentos às cores". 

 

 

 

 

no jardim de infância, continuamos a pensar sobre os nossos pensamentos

- em que pensas tu?

na nossa última visita à sala do jardim de infância, em dezembro de 2019, continuámos os nossos trabalhos.

 

21596819_AcPZS.jpeg

 

na sala das bolinhas de sabão o mistério (?) permanece misterioso e suscita curiosidade e diálogo. 

na sala da tenda mágica fizemos um trabalho diferente do habitual: não estivemos "só" a pensar, também demos largas à nossa criatividade e procurámos "imitar" o que acontece no livro "em que pensas tu?". estivemos a desenhar aquilo em que estávamos a pensar. 

 

ENIWnhhWkAAHGEz.jpg

 

ENIWnhoWoAAS9eF.jpg

ENIWniKXkAAwmlx.jpg

depois de desenhar, cada um dos pequenos filósofos teve a oportunidade de dizer o que estava no desenho. eis algumas das respostas: 

não sei

uma playstation 4

uma pessoa

uma praia

é uma prenda

um arco-íris

um peixe do mar

um camelo

um homem mau

uma batata palhaço

uma estátuta com uma batata

um sol e uma árvore

o meu pai e a minha mãe

uma tromba e pintei a cabeça e havia um caldeirão

um cabelo e um arco íris e uma aranha

uma menina

um super herói

uma árvore

 

estamos quase de volta ao jardim de infância, para continuarmos os nossos diálogos. 

 

em que pensas tu?

- e o que podemos encontrar dentro da TUA cabeça?

EKYvGSRXkAUI4nO.jpg

este livro, em que pensas tu?, é um dos meus preferidos dos últimos tempos. pela forma e pelo contéudo: página após página vamos descobrindo o que se passa na cabeça das diferentes personagens. faz parte da minha mochila quando trabalho no jardim de infância, pois há um encanto visível no rosto dos mais pequenos ao descobrir as "portinhas" que nos levam para dentro da cabeça da Ana ou do Luciano (personagens do livro). 

hoje o livro foi apresentado na sala dos mais novos (3 e 4 anos): estivemos a ler o livro e a descobrir o que acontecia dentro da cabeça das pessoas que estão no livro. 

já na sala dos 4 e 5 anos o trabalho foi outro: um dos meninos não tinha estado presente quando lemos a história, numa das oficinas anteriores, e pediu que falássemos do livro. assim foi: os amigos foram dizendo aquilo do qual se lembravam e acabámos por abrir algumas das páginas para nos ajudar a lembrar melhor.

no final, surgiu a pergunta, que foi feita a cada uma das pessoas que estava na sala:

se houvesse uma portinha para espreitar a cabeça da/o [nome da criança], o que é que eu ia ver lá dentro? 

algumas das respostas:

- nada

- não sei

- um leão

- um tigre

- um elefante 

- comidas

- playstation 4

- fantasma **

 

na próxima oficina vamos continuar o desafio de pensar o que está dentro da nossa cabeça. 

 

ainda hoje dizia a pequena D. que este é um livro sobre sentimentos (e esta observação fez-me pensar:  sentimentos que pensamos ou pensamentos que sentimos?).

 

** o fantasma criou alguns problemas, pois há meninos que dizem que não existe. é algo que vamos recuperar numa das próximas oficinas. 

 

 

"quem és tu?"

tumblr_pzgw47aQwr1qhzqx6o1_500.jpg

perguntas!

Outubro marcou o regresso às salas do Jardim de Infância, com a filosofia "às costas". na mochila levei dois livros que acabaram por não ser abordados no primeiro dia. porquê? bom, as crianças receberam-me com... perguntas!

 

bolinhas de sabão

na sala dos 3 / 4 anos a curiosidade à minha volta era muita: "quem és tu?" e "o que é que estás aqui a fazer?" - foram as perguntas que mais ouvi e ainda nem me tinha sentado na manta. depois de ocuparmos o nosso lugar no círculo, fizemos as apresentações e trabalhámos o que é isso de fazer uma pergunta. um tema que serve muito bem ao primeiro contacto das crianças com a filosofia, pois isto de perguntar e  de dizer confunde-se, por vezes. 

 

tumblr_pzf5j8G7v71qhzqx6o1_500.jpg

tenda mágica

na sala dos 4 / 5 anos conheci caras novas e revi caras conhecidas. as crianças estão muito crescidas e foi surpreendente ver como se lembram de tantas coisas do ano lectivo passado. 

sabem o que investigámos? a magia. pois é, esta é a sala da tenda mágica e estamos todos muito intrigados com a magia que pode existir naquela tenda. vamos investigar o assunto e na próxima oficina trocamos ideias.

 

 

oficinas de filosofia no jardim de infância

 

tumblr_psmvudDTFn1qhzqx6o1_500.jpg

passou a correr!

e não é que o ano lectivo está quase, quase a acabar? quando olhamos para o início, para os primeiros momentos com estes dois grupos do jardim de infância, começamos a tomar consciência do caminho que fizemos até aqui, juntos. 

 

e com o tempo...

 

tumblr_psld8i6SKm1qhzqx6o1_500.jpg

 

é verdade: o difícil torna-se fácil. hoje temos mais coragem para colocar o dedo no ar e partilhar um ideia. hoje sabemos que o porquê está sempre a acontecer na filosofia. hoje a caixa da imaginação é estranha e mágica. hoje temos mais flexibilidade no pensamento e mais consciência do que nos faz mudar de ideias. 

fizemos progressos, devagar, devagarinho - na filosofia não temos pressa. e não temos receio de dar um passo atrás, para seguir caminho: o ritmo dos grupos é próprio, até porque cada grupo é constituído por mini-'ssoas que têm, cada uma delas, o seu próprio ritmo.

 

 

se pretende que as oficinas de filosofia aconteçam no seu jardim de infância, contacte-me via e-mail: info@joanarita.eu - podemos agendar uma oficina pontual, temática, para dar a "experimentar" um bocadinho da filosofia!

 

para acompanhar o trabalho no jardim de infância 2018/2019:

oficina #1 oficina #2 oficina #3 oficina #4 oficina #5 oficina #6  oficina #7 oficina #8 oficina #9 oficina #10  oficina #11 oficina #12 oficina #13 oficina #14

posso ser feliz quando estou sozinha?

 

filocri_jardim_infancia

D6DwuRiWAAEUh5j.jpg

 

"joana, isso não bate certo! a M. é da equipa do SIM

e diz q não gosta de estar sozinha?"

 

o que significa estar sozinha, do ponto de vista de uma crianças de 4 ou 5 anos?

o conceito de "estar sozinha" passa muito por

1) estar às escuras ou

2) estar num sítio onde não há um adulto presente, mesmo que haja outra criança ou

3) ir para a cama dormir

 

esta conversa fez-me viajar a uma das primeiras oficinas de filosofia com esta sala. estava sentada na manta com este grupo e a educadora saiu da sala, de seguida a auxiliar foi até à porta e deixou de estar visível para o grupo (ela estava na sala, mas a porta não permitia que o grupo a visse). um dos pimpolhos exclamou: "joana, ficámos sozinhos!" ou seja, estar sozinho é estar sem o adulto que habitualmente supervisiona e garante os cuidados. e sim, eu sou adulta, mas ali eu fui entendida como alguém que pertencia ao grupo das crianças.

 

 

para acompanhar o trabalho no jardim de infância 2018/2019:

oficina #1

oficina #2

oficina #3

oficina #4

oficina #5

oficina #6 

oficina #7

oficina #8

oficina #9

oficina #10 

oficina #11

oficina #12

oficina #13

the thinking game

tumblr_ppdxd5pAPG1qhzqx6o1_500.jpg

 

two weeks ago, we had a meeting with the little boys and girls from the kindergarten, and it was all about what we call "the thinking game".

we're trying to figure out which things require thinking about, and which don't.

while visiting the stories on the book "Em que pensas tu?" (What are you thinking about?), I learned that, if I want to play Hide&Seek, I have to think very hard.

I asked "why?" and the answer was:

"Joana, you are bigger then us, you have to think about a better place to hide, you have more body to cover up. we're smaller and can find an easier place to hide."

 

(publicação anteriormente partilhada em português

de onde vêm os pensamentos? - investigação no jardim de infância

tumblr_pq3tu1HDf71qhzqx6o1_500.jpg

"o pensamento é uma ideia", disse o G.

para o F: "podemos pensar o que queremos".  

como é que seu sei se a S está a pensar ou não? "

então, vês ela quieta e a portar bem ou a pensar baixinho." 

pensar é portar bem?

"não".

"oh joana, estamos a pensar como é que é pensar?" 

sim!

"eu já disse que o pensamento é uma ideia!" 

 

sim, disseste. onde é que aparecem essas ideias?

"na aula de filosofia! é que aqui temos de pensar primeiro e depois é que fazemos a pergunta. aqui é a filosofia de pensar"

 

"as ideias vêm da nossa cabeça, aqui na testa!" 

(e esta afirmação foi polémica, pois estivemos a verificar onde começa a cabeça e se a testa serve mesmo para pensar...)

 

como é que acontece isso das ideias que vêm na cabeça?

 

"uma pessoa está a sentir que a ideia vem para a cabeça e quer falar. se a ideia não for boa, ela fica lá para baixo, fica nas costas ou na barriga. não sobe para a boca, para o queixo se mexer e começar a falar"

 

"às vezes a ideia vem para cima e há um amigo que quer falar. então vai para baixo, à espera"

 

[sala dos 3 / 4 anos]

 

humm mas afinal onde estão os pensamentos?

 

"os pensamentos são ideias. as ideias estão guardadinnhas onde deviam estar"

 

e onde fica isso?

"ao lado das outras ideias"

 

e alguém diz: "então, se abanares as cabeça as ideias vão para esse sítio, onde deviam estar"

 

[sala dos 4 / 5 anos]

 

para acompanhar o trabalho no jardim de infância 2018/2019:

oficina #1

oficina #2

oficina #3

oficina #4

oficina #5

oficina #6 

oficina #7

oficina #8

oficina #9

oficina #10 

oficina #11

oficina #12

 

 

Mais sobre mim

O que faço?

Filosofia é coisa para miúdos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D