Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

filocriatiVIDAde | filosofia e criatividade

oficinas de perguntas, para crianças / para pais e filhos | formação para professores e educadores (CCPFC) | #filocri | #filopenpal

filocriatiVIDAde | filosofia e criatividade

oficinas de perguntas, para crianças / para pais e filhos | formação para professores e educadores (CCPFC) | #filocri | #filopenpal

café filosófico na livraria mais antiga do mundo

 

cafe_filosofico.png

no dia 23 de setembro voltamos à livraria mais antiga do mundo, a bertrand do chiado, para mais um café filosófico. começa às 18h30 e termina às 20h e a pergunta que vai orientar o nosso diálogo é:

que valor têm as coisas? 

para participar no café filosófico terá de fazer uma inscrição via e-mail ou no local, uns minutos antes de começarmos. encontra toda a informação no site da bertrand

mais um café filosófico na livraria mais antiga do mundo

Cafés Filosóficos na livraria mais antiga do mundo
- Levar a filosofia para junto das pessoas. 

• 24 de Junho: Por que é que há alguma coisa?

A quem se destina o Café Filosófico?

Destina-se a pessoas que, independentemente dos seus conhecimentos no âmbito da filosofia, aceitam o desafio para praticar o parar para pensar.

54434320_10155740557061548_5823345783537139712_n.p



Como acontece? 

Tudo começa com uma pergunta, seguida de uma proposta de exercício de pensamento crítico.
É natural que, ao princípio, os participantes sintam algum desconforto, tal como acontece no primeiro dia do ginásio; só que aqui são os músculos do pensamento que vão sentir-se incomodados. Só com a persistência e a insistência será possível superar este desconforto, focando no objectivo final: um pensamento flexível, resistente, adaptável, capaz de traduzir ideias em palavras, de defender uma posição e/ou de mudar de ideias.



Moderação: Joana Rita Sousa


Café Bertrand, Livraria Bertrand Chiado
Horário: 18:30h /20h

Inscrições: leitor@bertrand.pt

onde andam os filósofos? - perguntou o Tomás

Quem são, então, os “verdadeiros filósofos” de hoje em dia? Uma vez que já nos encontramos lançados em pleno século XXI, será que já chegaram esses “filósofos do futuro”? Esses filósofos pós-hegelianos não preocupados em construir sistemas, não ocupados com a filosofia por si mesma, mas comprometidos e reagentes ao seu contexto e a fazer as perguntas que devem ser feitas. Também gostava de saber se é isto que o filósofo deve fazer? Ou, pelo contrário, se recusar a pretensão pelo absoluto é um erro e é por ai que deve a filosofia continuar. Filhos de Hegel ou filhos de Nietzsche? Quem são os filósofos mais importantes do nosso tempo?

 

eis as respostas, neste artigo do blog do Tomás Magalhães Carneiro. obrigada pelas perguntas e pela partilha, Tomás!

há perguntas proibidas? - e assim aconteceu mais um café filosófico

os cafés filosóficos são espaços de diálogo e onde se procura praticar a filosofia.

não é necessário qualquer tipo de conhecimento filosófico, basta estar disponível para parar para pensar. além de pensar, procuramos trabalhar ferramentas que nos permitam pensar sobre o pensar.

observamos o pensamento:

o que acontece quando penso?

o que digo quando assumo o compromisso com uma ideia?

o que me faz mudar de ideias?

 

pensar é agir. e é também uma brincadeira muito séria.

 

54523267_10216927729277783_8469703248905764864_n.j

e no final do café filosófico, estas foram as apreciações feitas pelos participantes: 

"obriga-nos a pensar"
"permite-nos chegar a uma conclusão"
"obriga-nos a tomar uma posição"
"é dolorosamente bom"
"faz-nos perguntar a nós próprios"
"permite-nos ver outros pontos de vista"
"saímos da nossa concha"
"às vezes não dizemos nada de jeito, mas não foi o caso, aqui"
"vimos uma multiplicidade de caminhos"

 

- voltamos a filosofar na Casa da Avenida no dia 28 de Abril, às 18h30

Oscar Brenifier em Portugal

o professor Oscar Brenifier vai estar em Portugal para ministrar mais um workshop de filosofia prática que acontece no dia 17 de fevereiro, domingo, em Oeiras.

 

quem é Oscar Brenifier?

DSCF0010.JPG

o trabalho de Oscar Brenifier é conhecido do público português através dos livros publicados na Edicare e na Dinalivro. não é a primeira vez que vem a Portugal e também não é a primeira vez que vou participar num workshop do Oscar. 

tenho falado com alguma frequência sobre o professor Oscar neste blog pois considero-o uma das minhas referências na área da filosofia prática, nomeadamente no que diz respeito à filosofia para crianças e jovens. foi um dos autores com quem dialoguei, através dos seus textos, na investigação que fiz durante a minha dissertação de mestrado em filosofia para crianças.

 

 

 

 

a quem se destina este workshop?

 

a quem queira exercitar os músculos do pensamento, o seu pensamento crítico e criativo. professores, alunos, educadores, pais, agentes educativos, gestores de projecto, CEO e, na verdade, qualquer pessoa (humana) que pretenda praticar o parar para pensar. 

 

para mais informações: alice.p.santos@hotmail.com 

a investigação filosófica em Abrantes

tumblr_pi6o1cQEai1qhzqx6o1_500.jpg

a oficina desta manhã seguiu os passos metodológicos do café ☕ filosófico do Tomás Magalhães Carneiro e foi muito positiva a forma como os alunos saltaram do "pensar o conteúdo" para o "pensar a forma" do trabalho da filosofia:

🗣️ "quando chegámos não sabíamos o que era a filosofia e conseguimos fazer a filosofia, sem saber mesmo o que é. fizemos um bom trabalho!" (aluna do 6º ano)

o que fizemos?

fizemos perguntas, perguntámos perguntas às perguntas e arriscámos definições de coisas para poder pensar melhor. 

tumblr_pi77664LCp1qhzqx6o1_500.jpg

da parte da tarde encontrámos um grupo cheio de pressa: muitos braços no ar e muita falta de paciência para esperar pela sua vez. durante esta oficina acabámos por fazer um exercício que permite contrariar a pressa e a vontade de dizer algo, mesmo sem ouvir o que o outro está a dizer.

 

começámos por fazer perguntas sobre uma imagem. depois, foi pedido que dissessem coisas sobre a imagem: é importante treinar o perguntar e o dizer coisas (afirmar). depois deste "aquecimento" foi-lhes proposta uma pergunta, que suscitou problemas junto do grupo. ora e o que fazem pequenos e grandes filósofos quando estão perante problemas? dedicam o seu tempo a resolvê-los.

 

no final foi pedido ao grupo que dissesse algo sobre o trabalho que tínhamos feito: "foi bom, eu gostei, mas estivemos muito apressados e agitados e não ouvimos bem as coisas". 

houve até quem confessasse que gostaria de repetir este jogo da filosofia.

 

 

 

continua a investigação no jardim de infância

oficinas_acijr.jpg

 

na semana passada regressámos às salas do jardim de infância para filosofar.

quando temos a oportunidade de trabalhar em continuidade temos mais tempo para que as crianças se apropriem de algumas ferramentas importantes para que se reconheça o diálogo filosófico.

na última oficina de filosofia recuperámos os temas já tratados, como forma de "aquecimento", antes de começarmos a mergulhar no diálogo. depois disso, na sala dos 4/5 anos estivemos a desenhar ideias tontas e ideias normais. temos vindo a trabalhar esta questão e é difícil explicar o que são; ainda assim, parece que toda a gente sabe do que se trata. por isso mesmo, sentámo-nos para desenhar ideias tontas e ideias normais. foi uma oficina diferente, com lugar ao desenho e ao início do diálogo sobre os desenhos.

na sala dos 3/4 anos estivemos a investigar uma caixa misteriosa que, uma vez aberta, mostrava coisas diferentes a cada um dos investigadores. curiosos para saber do que se trata? em breve desvendamos o mistério!

 

acompanhe aqui o trabalho com as salas JI:

oficina #1

oficina #2

 

de volta à escola

back_to_school

estudar, aprender, investigar: estes são alguns dos verbos que pratico constantemente, de modo mais ou menos formal. de tal forma que, uma vez, a minha afilhada (agora com 15 anos, na altura com uns 6 ou 7) me perguntou se eu algum dia ia deixar de ir à escola. disse-lhe prontamente que tinha dúvidas que isso acontecesse, pois gosto mesmo de estudar e de aprender.

também gosto de partilhar o que aprendo e o que investigo; ao partilhar isso com os outros, crio uma oportunidade de diálogo, de crítica, de olhar para outras perspectivas que até então não tinha considerado.

2018 é o ano em que comemoro 10 anos de filocriatiVIDAde no mundo e o ano em que regresso à casa onde materializei o meu amor pela filosofia, ingressando na licenciatura que mudou a minha vida. na altura desconhecia que, um dia, ia estar ligada à filosofia aplicada e, sobretudo, à filosofia para crianças e jovens.

este regresso à Universidade Católica, como docente na Pós Graduação em Filosofia para Crianças e Jovens tem um sabor especial, pois traz memórias e também a confiança no futuro da filosofia para crianças e jovens em Portugal. há muito para fazer, nesta área e este é um contributo sólido e estruturado, a par de outros como o mestrado em Filosofia para Crianças na Universidade dos Açores. e por falar nisso, já vos contei que a tese foi submetida? e que em 2019 haverá lugar a provas públicas? 

 

a-filosofia

e já que estamos a falar de filosofia, recordo-vos que novembro é o mês em que se assinala o dia mundial da filosofia. este ano volto a marcar presença no festival de filosofia de Abrantes, onde vou orientar oficinas de filosofia com a pequenada. o programa é muito rico e inclui café filosófico e vários momentos de diálogo que acontecem pela cidade, junto das pessoas. 

 

 

 

 

ginásio da filosofia

da mesma maneira que um atleta repete, diariamente, os exercícios que o vão tornar mais forte, mais ágil, mais flexível, mais rápido – assim também o filósofo deve manter a sua disciplina de treino.

em conversa informal com o José Barrientos-Rastrojo criámos uma estrutura de treino para filósofos (e que recomendo a qualquer curioso ou interessado em manter o seu pensamento bem treinado).

a ideia é intercalar a leitura de uma obra filosófica com uma obra não filosófica. por exemplo, passei alguns meses a ler a Crítica da Faculdade do Juízo, de Immanuel Kant. agora, estou a ler as 21 Lições para o Século XXI, de Yuval Noah Harari e já tenho em vista a Estética, de Hegel. o tempo máximo para cada livro filosófico é um mês: há obras mais difíceis do que outras e que exigem mais dedicação. o desafio é persistir. se não conseguir levar o livro até ao fim, posso recuperá-lo daqui a uns tempos.

tenho muitas obras filosóficas “meio” lidas, devido à investigação e aos estudos da licenciatura. quero reler algumas, como se fosse a primeira vez.
e, confesso, há aqui muitos livros em espera. 

vamos a isso? aceitam o desafio?

 

livros_joana_rita_sousa

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

@ creative mornings lx

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2006
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D