Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

filocriatividade | filosofia e criatividade

>> oficinas de filosofia, para crianças, jovens e adultos >> formação para professores e educadores (CCPFC) >> nas redes sociais: #filocri | #filopenpal | #FilosofiaAoVivo

filocriatividade | filosofia e criatividade

>> oficinas de filosofia, para crianças, jovens e adultos >> formação para professores e educadores (CCPFC) >> nas redes sociais: #filocri | #filopenpal | #FilosofiaAoVivo

em 2019 a revista fórum estudante visitou a oficina do Platão

ka5e-q6c.jpg

 

"Aqui, nós aprendemos o que as coisas são, o que são as palavras. andamos a ver o que existe, o que é real, explicamos as palavras e as perguntas!", diz Marco, um dos alunos participantes na Oficina do Platão, experiência que já funciona há 3 anos e que estimula, a FORUM comprovou ao vivo, o poder de debate e de argumentação, bem como a tolerância.

Mariana, Catarina, Diogo, Francisco, Carlota, Laura, Rita, Sofia e Mário, todos entre os 11 e os 13 anos, frequentam esta oficina de filosofia que pretende ser “um espaço e um tempo para parar para pensar, treinar o olhar crítico, explorar possibilidades e investigar - em conjunto”. “Fazemos perguntamos, damos respostas, às vezes fazemos jogos, pensamos”, resume Mário sobre a ordem de trabalhos.

“Nas oficinas, procuramos identificar problemas, sob a forma de perguntas, para investigar em conjunto”, explica Joana Rita Sousa. Este trabalho pode partir da leitura de um texto ou de uma notícia de jornal, por situações vividas pelos participantes ou até imagens ou vídeos. A partir daí, explica a mentora desta oficina, constroem-se “condições para o diálogo, estabelecendo algumas regras, como por exemplo, para falar, pedimos a palavra”.

 

para ler na íntegra na revista Fórum Estudante

 

nota: neste artigo eu digo que "não há uma grande preocupação com respostas certas ou erradas, mas mais com as perguntas: os problemas”. parece uma afirmação contraditória com este meu posicionamento - mas não é. 

trata-se de uma frase apelativa e que convida todas as pessoas a arriscar respostas. porém, exige algum enquadramento e por isso convido à leitura deste artigo para o qual convido Alves Jana, Jose Barrientos Rastrojo e Peter Worley para a roda do diálogo. 

 

uma recomendação para quem desenvolve oficinas de filosofia, para crianças e jovens

leia filosofia. estude filosofia. participe de um grupo de diálogo filosófico.

afinal, trata-se de filosofia para crianças e jovens e não de inteligência emocional para crianças ou mindfulness para crianças. é importante que a pessoa facilitadora seja treinada no pensamento filosófico, a identificar problemas, a conceptualizar, a procurar clareza no discurso, a testar possibilidades, a identificar e construir argumentos. 

aprendemos a fazer isso lendo livros de filosofia e praticando exercícios de pensamento crítico e criativo. 

 

a filosofia para crianças e jovens não é um simples procedimento de diálogo e não basta sentar as pessoas em círculo, ler um texto, pedir perguntas, votar perguntas e conversar. há algo mais para lá destas características que habitualmente associamos à filosofia para crianças. esse "algo mais" é a filosofia a acontecer e por vezes é tão súbtil que só alguém com ouvido filosófico consegue detectar.

 

por onde começar? 

 

- isto não é filosofia

o Vitor Lima disponibiliza dois cursos gratuitos no canal de youtube Isto Não É Filosofia. pode fazer uma aula por semana, uma aula por mês: pode definir o seu ritmo. o Vitor disponibiliza bibliografia na descrição dos vídeos, o que também é muito útil. 

 

- leia um texto filosófico

Apologia de Sócrates, de Platão, Meditações de Marco Aurélio ou Para que serve a filosofia?, de Mary Midgley - cada um destes textos pode ser uma boa porta de entrada para começar a ler um texto filosófico. 

 

b3CLALMJ.jpg

 

- estude e treine pensamento crítico 

Steven Pinker, Warren Berger, Tom Chatfield e Rolf Dobelli são autores que recomendo para quem quer treinar pensamento crítico - e sim, isso inclui "aquelas coisas da lógica".  

 

G1feTGCR.jpg

- estude com quem trabalha e investiga na área da filosofia para crianças e jovens

Oscar Brenifier, Peter Worley, Dina Mendonça e Maria João Lourenço são algumas das pessoas que publicaram livros onde podemos aprender teoria e prática.

 

R0q5VMNH.jpg

 

- estude e treine pensamento criativo

Robert Fisher, Edward de Bono, Tony Buzan, Isabel Minhós Martins e Madalena Matoso são óptimas referências na área do pensamento criativo. 

PUxrBBdY.jpg

e ainda... 

se pretende fazer parte de uma comunidade de prática do diálogo filosófico, considere fazer parte do Clube INÉF, da Academia do Diálogo ou do #ClubeDePerguntas.

se já tem formação na àrea da filosofia para crianças e jovens, considere juntar-se à comunidade de Diálogos Filosóficos ou ao grupo de estudos e de leitura - filosofia para / com crianças e jovens

algumas destas opções são gratuitas, outras envolvem o pagamento de subscrições - TODAS exigem compromisso da sua parte. vamos a isso? 

 

como provocar o diálogo criativo com crianças e jovens?

- formação de 3h com joana rita sousa, filósofa e mestre em filosofia para crianças

Screenshot 2022-01-04 at 14.42.44.png

🎉 primeira formação #filocri em 2021 destinada a pais, professores, educadores, demais agentes educativos e professores bibliotecários.

💬 o tema: como provocar o diálogo criativo com crianças e jovens?

👉 tópicos: 

- da conversa ao diálogo
- como criar contexto para o diálogo
- ferramentas de diálogo criativo



💻 acontece em formato online, nos dias 18 e 20 de janeiro,  das 18h30 às 20h (hora de Lisboa, Portugal)
 (duração de 3h).

📝 inscrições e informações através deste formulário.

👉 a inscrição inclui materiais de apoio e bibliografia de referência. não inclui certificado.

agenda #filocri - janeiro 2022

Green Pink Playful Memo (1080 x 1350 px).png

 

[de 3 a 7 de janeiro há oficinas de filosofia para crianças dos 7 aos 12 anos - vagas completas]

 

☕️ 10 de janeiro, 18h30-20h30
[online] café filosófico em parceria com a Bertrand Livreiros
- para jovens e adultos 


👉 oficina ser um pensador independente - parceria com o Coworking Torres Vedras
 15 de janeiro (total de 3h)
- informações através do Coworking Torres Vedras


👉 como provocar o diálogo criativo com crianças e jovens?
[online] 18 e 20 de janeiro (total de 3h)
- informações via e-mail 

👻 oficinas de filosofia para crianças (dos 7 aos 12 anos) e jovens (dos 13 aos 17 anos)
[online], sábado dia 22 de janeiro 
- informações: oficina do Platão e oficina philoTEEN 


☕️ 24 de janeiro, 18h30-20h30
[online] café filosófico em parceria com a Bertrand Livreiros
- para jovens e adultos 


👉oficina pensar antes de gostar 
[online] início a 26 de janeiro
- informações junto da Bertrand Livreiros



💬 oficina de filosofia para famílias e café filosófico para jovens e adultos - parceria com a Malaposta (Odivelas)  [presencial] 29 e 30 de janeiro 
- informações AQUI

[mais #livrosperguntadores]

 

 

🤓 ainda a propósito do #diamundialdafilosofia e da partilha de #livrosperguntadores com a equipa do PNL2027, aqui ficam outras sugestões que não fizeram parte da live do dia 23 de novembro, com a Júlia Martins.
 
 
📌 duas das sugestões não são livros: são baralhos e recursos que "arrumo" na categoria dos #livrosperguntadores por serem tão bons trampolins de perguntas.
 
 
📚 Ignorance - How it drives science, Stuart Firestein / Oxford University Press
 
📚 Um dia na vida de Marlon Bundo, Marlon Bundo, Jill Twiss, Eg Keller / Cultura Editora
 
📚 Portuguesas com M Grande, Lúcia Vicente e Cátia Vidinhas / Nuvem de Tinta 
 
📚 baralhos unhu: para parar, jogar, pensar e arriscar respostas
 
📚 ekui.pt, um recurso que pergunta e dá resposta às questões da #educacaoinclusiva
 
📚 Fim? Isto não acaba assim, Noemi Volta / Planeta Tangerina
 
📚 Vazio, Catarina Sobral / Pato Lógico
 
dida, Inês Fonseca Santos e Marta Madureira / Arranha Céus
 
📚 A bola vermelha, Vanina Starkoff / Orfeu Negro 
 
📚 O pedaço que falta, Shel Silverstein / Bertrand Editora
 
📚 A árvore generosa, Shel Silverstein / Bruaa
 
📚 Et Pourquoi ?, Michel Van Zeveren / Ecole des Loisirs
 
📚 Discórdia, Nani Brunini / Pato Lógico
 
📚 Máquina, Jaime Ferraz / Pato Lógico
 
 

 

 
 
lembre-se que não tem de comprar livros para ter acesso aos mesmos: visite a biblioteca municipal e/ou incentive os seus filhos a visitar a biblioteca escolar. boas leituras e boas perguntas!
 
 

 

 

 

oficinas de filosofia em dezembro e em janeiro [formato online]

 

vuuQTOwq.jpg

Portugal está novamente em estado de calamidade e há novas regras em vigor para conter a pandemia. nesse sentido e considerando as famílias com crianças e jovens que podem ou querem ficar por casa nas últimas semanas de dezembro e na primeira de janeiro, resolvi abrir datas para oficinas online. 

 

👉 haverá oficinas para crianças (dos 7 aos 12 anos) e para jovens (dos 13 aos 17 anos). 

👉 para consultar as datas e horas, bem como os temas, visite este link.

👉 as oficinas têm a duração de 1h e acontecem através da plataforma zoom. 

👉 para participar é preciso um dispositivo com ligação à internet, alguma tranquilidade no espaço onde estamos, vontade para parar e pensar. 

👉 cada oficina terá um número limitado de participantes. 

 

oficinas para crianças dos 7 aos 12 anos / datas:

20 de dezembro: fazer perguntas à pergunta
22  de dezembro: como sabes que não és um robot?
27 de dezembro: o anel invisível
28 de dezembro: jogo das escolhas
29 de dezembro: semelhanças e diferenças
30 de dezembro: "e se...?"

3 de janeiro: era uma vez o futuro
4 de janeiro: palavras preciosas
5 de janeiro: existe ou não existe? 
6 de janeiro: onde está a arte? 
7 de janeiro: a rã e o escorpião 

formulário de inscrição disponível AQUI.

 

oficinas para jovens dos 13 aos 17 anos / datas:

21 de dezembro, terça: opinião e conhecimento
23 de dezembro, quinta: liberdade e determinismo
27 de dezembro, segunda: o que devo fazer? 
29 de dezembro, quarta: o que posso conhecer? 

formulário de inscrição disponível AQUI.

 

📝 não entendo as oficinas online apenas como uma opção de recurso imposta pela vida pandémica e o consequente distanciamento físico que nos é solicitado. para mim as oficinas online são um formato viável através do qual é possível praticar o pensamento criativo, crítico, colaborativo e cuidadoso. acresce que possibilita o encontro de geografias bastante distintas, o que traz um potencial de riqueza para o diálogo. 

 

 

agenda #filocri em dezembro

 

1.png

a agenda de dezembro tem tons de verde e de esperança de que possamos receber 2022 com saúde e curiosidade! 

tome nota e participe das actividades #filocri: 

💬 13 e 27 de dezembro: cafés filosóficos (online) em parceria com a Bertrand Livreiros - para jvoens e adultos / inscrições AQUI

💬 18 de dezembro: oficina do Platão às 15h (sem vagas) e oficina #philoTEEN às 17h - online. há vagas para as oficinas dos jovens dos 13 aos 17 anos - saiba mais AQUI.

💬 28 de dezembro, às 21h: encontro dos membros do Clube de Perguntas para partilha do desafio deste mês. para fazer parte do Clube, preencha o formulário (sujeito a pagamento de subscrição)

 

se não pode participar nestas actividades e ainda assim gostaria de apoiar a filocriatividade e o meu trabalho, convido-o/a a pagar um café através desta plataforma. outra forma de apoiar a filocriatividade passa por subscrever a newsletter ou divulgar as minhas publicações junto de potenciais interessados.

muito obrigada! 

 

como provocar o diálogo criativo com crianças e jovens?

- formação de 3h com joana rita sousa, filósofa e mestre em filosofia para crianças

 

 

🎉 última formação #filocri em 2021 destinada a pais, professores, educadores, demais agentes educativos e professores bibliotecários.

💬 o tema: como provocar o diálogo criativo com crianças e jovens?

👉 tópicos: 

- da conversa ao diálogo
- como criar contexto para o diálogo
- ferramentas de diálogo criativo



💻 acontece em formato online, no dia 11 de dezembro, sábado, das 15h às 18h (duração de 3h).

📝 inscrições e informações através deste formulário.

👉 a inscrição inclui materiais de apoio e bibliografia de referência. não inclui certificado de participação.

filosofar a brincar

257717878_6858606807513462_7825195082335357042_n.j

 

filosofia, uma brincadeira muito séria 

uma nota: por filosofia entenda-se um espaço e um tempo que convida um grupo de pessoas a fazer acontecer a filosofia. entendo a filosofia como um verbo, um movimento que nos desloca da pergunta para a resposta, para o comentário ou para a outra pergunta. 

 

há dias numa tímida turma de 3.º ciclo perguntavam-me onde é que eu era professora. segundo um dos participantes eu seria demasiado bem disposta para ser professora.  respondi que sou uma pessoa sem escola e que o meu trabalho passa por dinamizar oficinas de filosofia com todas as idades, a partir dos 3 anos. não ter escola permite-me conhecer várias escolas de Portugal, continente e ilhas - e também noutros países.

não irei expor o porquê desta minha prática filosófica, pois o assunto que me traz aqui é mais o "como". como acontecem estas oficinas?

um dos trampolins para estas oficinas é o jogo. o jogo tem uma dimensão lúdica, tem regras e normalmente permite vários jogadores. o jogo não é a realidade, porém pode fazer-nos pensar a realidade. 

na minha experiência de dinamização de oficinas de filosofia com pessoas das mais diferentes idades e geografias, a apresentação da proposta do "trabalho de pensar" (Saramago) através do jogo é meio caminho andado para envolver as pessoas participantes. a outra metade do caminho prende-se com o trabalho filosófico em si mesmo. como é que este trabalho acontece? 

 

234692623_10223697517158249_5585281956199176184_n.

o pensamento crítico e a sua aplicação cuidadosa

uma das competências que se trabalha nas oficinas de filosofia diz respeito ao pensamento crítico. de acordo com Lima, o pensamento crítico

"é a aplicação cuidadosa da razão para decidir em que acreditar e, portanto, como agir. destaque para as partes importantes da definição:

Pensamento cuidadoso (sensatez)  

Uso da razão (lógica)  

Julgamento sobre crenças (avaliação

Aplicação a problemas reais (ação)”

não é fácil, nem rápido. é bastante exigente: exige treino, bem como atenção à complexidade e ao detalhe. exige compromisso com a investigação filosófica (philosophical enquiry - Peter Worley). exige sensibilidade ao contexto (filosofia para crianças, M. Lipman e A. Sharp). 

 

"e se...?" - as portas que o pensamento criativo nos abre 

na linha de Robert Fisher, o pensamento criativo diz respeito à criação de atalhos, a questionar a forma habitual de fazer as coisas, à curiosidade e à investigação, à associação de ideias, à observação de semelhanças e de diferenças, bem como à flexibilidade.

ainda que eu não defenda "X", posso imaginar como será o pensamento de alguém que defende "X" numa dada situação. esta atitude permite-me inclusivamente testar a solidez da minha posição, quem sabe melhorá-la e até abandoná-la. é possível que eu possa estar errada e observar a ideia dos outros pode fazer com que eu regresse à minha ideia com mais clareza.

 

pensar, escutar e falar: o pensamento colaborativo 

Peter Worley apresenta numa das suas últimas obras - Corrupting Youth - um triângulo dialéctico muito simples que estrutura o trabalho que desenvolvo nas oficinas de filosofia:

0eVxSrao.jpg

há diferentes formas de participar numa oficina de filosofia: há pessoas que falam bastante, outras ficam em silêncio, há quem observe e só fale no momento de avaliar o trabalho - há quem se aborreça e há quem se entusiasme muito.

mais importante do que a quantidade de participações é atender à qualidade da participação: passo a passo, aprendemos que a filosofia é um espaço para eu dizer o que penso, para dar as razões para pensar dessa forma e também para pensar com os outros, partindo das suas ideias, criticando-as ou acrescentando algo. 

a escuta é fundamental nesse processo - e noutros, se tivermos em conta a recomendação  2/2021, 2021-07-14 - DRE, sobre A voz das crianças e dos jovens na educação escolar

 

*

na minha prática parto do pressuposto que as crianças, os jovens, os adultos - as pessoas que participam nestas oficinas -  são capazes de conjungar o verbo "filosofia".

o meu papel passa por assinalar alguns momentos, focar o grupo no tópico, convidar ao aprofundamento filosófico, identificar as ferramentas da filosofia (conceptualizar, problematizar...), manter o lado lúdico do diálogo e espantar-me com  o rumo dos diálogos. 

 

*

nas oficinas o verbo filosofia conjuga-se em forma de um diálogo comprometido com uma certa investigação e orientado pela obsessão pela transparência (António de Castro Caeiro). nesse diálogo-jogo  há movimentos de pensamento (crítico, criativo, colaborativo e cuidadoso) que nos permitem avanços e recuos - e no fim, quem ganha? definitivamente eu ganho imenso, pois trago sempre algo novo comigo, em cada oficina de filosofia, recarregando os meus níveis de espanto e de abertura para dizer "nunca tinha pensado nisso". 

 

*

 

curadoria de links sobre a temática disponível AQUI

 

referências: 

Lima, Evelyn; Lima, Vitor (2020), Pensando bem, o básico do Pensamento Crítico, [ebook] Rio de Janeiro, INÉF

Sousa, Joana Rita (2014), "Fazer acontecer a Filosofia –da criação de condições para o surgimento dos "porquês", IV Encontro de Filosofia para Crianças e Criatividade Sentir Pensamentos | Pensar Sentidos, 6 e 7 de Novembro, Universidade do Minho [não publicado]

Sousa, Joana Rita, (2016), “Going down the rabbit hole”, I CICA – Congresso Internacional e Interdisciplinar da Criança e do Adolescente, 21 e 22 de Outubro, Universidade dos Açores – Ponta Delgada [não publicado]

Sousa, Joana Rita (2017b), Laurance Splitter: "(...) we need to take their questions seriously, and check with them before assuming we know exactly what they mean." [blog post] in https://joanarssousa.blogs.sapo.pt/laurance-splitter-we-need-to-take-481425  (acedido em julho 10, 2018)

Sousa, Joana Rita (2019), Queres saber? Pergunta., [dissertação de mestrado] in https://repositorio.uac.pt/bitstream/10400.3/5258/1/DissertMestradoJoanaRitaSilvaSousa2019.pdf (acedido em 1 de novembro de 2021)

Worley, Peter (2021), Corrupting Youth, Reino Unido, Rowman & Littlefield

 

 

"o óbvio, a certeza e o palpite entraram numa sala de aula"

- filosofia para crianças no 2.º ciclo

3.png

perguntar, comentar e responder

"se isso é simples, então é seca" - anunciou o petiz logo no início, quando eu estava a descrever o triângulo de P. Worley: pensar, escutar e falar.

o convite para a filosofia é simples, porém exige esforço: pensar, escutar e falar. são três peças essenciais para que possamos criar tempo e espaço para o pensamento colaborativo, para o diálogo.

nesta oficina com o 5.º ano trabalhamos o perguntar e comentar a partir de uma imagem. a páginas tantas surgiu uma resposta para uma pergunta. será que responder é comentar? ou é outra coisa? 

e quem pergunta - por que é que pergunta? para saber? para verificar? para tirar dúvidas? e a quem se pergunta? 

 

4.png

o óbvio, a certeza e o palpite

o óbvio parece algo muito... óbvio! muito evidente. nem é preciso dizer, pois não? ou será que temos de dizer o óbvio? pois bem, no grupo do 6.º ano demos conta que há coisas que se entrelaçam muito e nem sempre o óbvio é óbvio para todas as pessoas. nem sequer era óbvio se estávamos a ter uma aula "normal".

ficou uma pergunta "no ar": todas as opiniões valem o mesmo? 

*

fica a recomendação para quem acha que a filosofia é simples - e por isso uma seca: é ler uma página, um parágrafo que seja da fundamentação da metafísica dos costumes de kant.

 

os recursos destas oficinas são imagens da caixa "I, person" de Wonder Ponder.

 

se pretende que as oficinas #filocri viajem até à sua escola ou biblioteca escolar,

contacte-me através deste formulário

(no canto superior esquerdo do blog encontra as minhas redes sociais e e-mail)

Mais sobre mim

O que faço?

Filosofia é coisa para miúdos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub