Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

filocriatividade | filosofia e criatividade

oficinas de filosofia e de criatividade, para crianças, jovens e adultos / formação para professores e educadores (CCPFC) / mediação da leitura e do diálogo / cafés filosóficos / #filocri

oficinas de filosofia e de criatividade, para crianças, jovens e adultos / formação para professores e educadores (CCPFC) / mediação da leitura e do diálogo / cafés filosóficos / #filocri

13 de Maio, 2024

os registos das oficinas de filosofia

joana rita sousa

brandi-redd-aJTiW00qqtI-unsplash.jpg

 

as evidências, o telemóvel na mão e duas perguntas

"Preciso de evidências das oficinas", disse-me uma professora depois de lhe pedir que não fotografasse ou filmasse as oficinas de filosofia.

Surgiu-me uma pergunta: as fotografias ou filmes são as únicas formas de registo de que dispomos?

Outra pergunta: O que estão os professores a modelar quando passam as oficinas de telemóvel na mão para registar evidências?

 

que tipo de evidências podemos recolher?

Nem tudo o que é evidência se resume a fotografias ou vídeos registados durante a actividade. Uma vez de volta à sala, a professora pode pedir à turma que mencione o que considerou mais curioso na actividade e registar as suas ideias através de post its que se colam no quadro. Esses post-its podem depois ser fotografados e guardados tanto em formato físico como digital.

Uma outra sugestão passa pela criação de um diário de turma onde possam ser registados aspectos relevantes do quotidiano da turma. Podemos começar este diário no primeiro dia de aulas e recorrer a esse documento sempre que temos algo de relevante a assinalar. Imaginando que é um diário físico, podemos recorrer a um caderno A4 ou a folhas A3 para ir registando ideias por escrito, colando recortes ou fotografias que se imprimem. Algumas sugestões de critérios para registo nesse diário de turma:

- uma actividade que fizeram pela 1.ª vez;

- uma ideia nova partilhada na sala de aula;

- uma dificuldade registada em sala;

- uma pergunta relevante que surgiu na sala;

- detalhes relevantes da visita de estudo;

- entre outros. 

Também podemos pedir aos alunos e às alunas que registem uma coisa que tenham aprendido, outra que tenham gostado, outra que não tenham gostado e ainda uma sugestão de melhoria.

Não é obrigatório que todas as crianças participem sempre neste diário; pode ser uma participação voluntária ou com uma ordem de participação definida. Talvez a ordem alfabética seja a forma mais simples de criar essa forma ordenada de participação.

 

Outra forma de recolher evidências durante as oficinas #filocriatividade (ou outras): leve um caderno consigo, sente-se e tire notas. Acredito que durante a hora da actividade poderá suspender de alguma forma o seu papel de professora ou de professor,  podendo dedicar-se inteiramente à escuta das ideias que as crianças ou os jovens vão partilhando. Aproveite para desfrutar do diálogo. As notas que tirar podem dar origem a um pequeno texto ou mapa de ideias que serve de evidência. 

 

lembre-se: não é evidente que haja autorização para fotografar

Vamos assumir que os professores estão a agir segundo o Regulamento Geral da Protecção de Dados e a respeitar as autorizações dos Encarregados de Educação relativamente aos registos dos educandos; não faltará ainda perguntar às pessoas que estão a dinamizar oficinas se estão confortáveis com as fotografias? Refiro-me não só a fotografias da sua pessoa, mas também do seu trabalho. 

Portanto, pergunte sempre à pessoa que está a dinamizar a actividade se está confortável com o registo fotográfico, áudio ou vídeo. Não é evidente que esteja. 

 

*

Outros artigos de interesse:

criar o seu diário de perguntas

/ iniciativa #perguntarolugar

/ ecos das aulas de filosofia

/ The Enquiry Diary