Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

filocriatividade | filosofia e criatividade

oficinas de filosofia e de criatividade, para crianças, jovens e adultos / formação para professores e educadores (CCPFC) / mediação da leitura e do diálogo / cafés filosóficos / #filocri

oficinas de filosofia e de criatividade, para crianças, jovens e adultos / formação para professores e educadores (CCPFC) / mediação da leitura e do diálogo / cafés filosóficos / #filocri

17 de Maio, 2022

give philosophy a chance

joana rita sousa

Screenshot 2022-05-17 at 09.56.11.png

um ano depois, volto a ser convidada pela AEFCM (Associação de Estudantes da NOVA Medical School | Faculdade de Ciências Médicas) para falar de filosofia. 

o apelo é claro: "give philosophy a chance". a pergunta que se segue: porquê?

vou elencar três motivos para que os alunos desta Faculdade - e qualquer pessoa leitora deste artigo - considerem a filosofia nas suas vidas: a obsessão pela transparência, a pergunta e a resposta.

 

*

filosofia: obsessão pela transparência 

num curso sobre filosofia no CCB, o professor António de Castro Caeiro refere um outro sentido para a filosofia, diferente do carimbo de pensamento amor pela sabedoria. 

"a palavra sofia quer dizer transparência. o saber prático resulta de uma resolução da opacidade numa determinada actividade. aquilo que filosofia quer dizer em platão (...) é um saber prático que lida com a opacidade e a filia quer precisamente dizer uma obsessão pela transparência, via opacidade." (transcrição de parte do ep. podcast)

nesse mesmo episódio de podcast, Caeiro sublinha a actividade prática da filosofia, um saber que é fazer - e quem não sabe, não faz. a pessoa filósofa é uma pessoa que entende de uma determinada matéria. 

filosofia remete para uma obsessão pela transparência - algo que não abona muito a favor das pessoas filósofas, devo dizer. somos pessoas de ideias fixas, no sentido de procurar resolver a opacidade e obter a informação mais clara, resolver os problemas identificando as suas variáveis. no caso dos médicos, estes profissionais procuram o diagnóstico mais afinado, procuram resolver o problema do paciente, procurando a transparência dos sintomas, trançando a causa ou sem sintomas procura identificar a doença (ainda estou a fazer uso das palavras de Caeiro). 

a filosofia procura identificar os problemas e traçar um caminho para resolver esses problemas. há algo mais quotidiano do que isto? 

 

filosofia: a arte de fazer perguntas

o processo de identificação de problemas acontece por meio de perguntas (e de respostas, mas já lá vamos). ora, ainda que a pergunta seja uma ferramenta de todos os dias ("olá, como estás?"), nem todos sabemos o que e como perguntar - sobretudo quando estamos a procurar diagnosticar um problema.

continuando a falar das pessoas que trabalham em medicina, é bastante diferente perguntar a um paciente: "o seu intestino funciona bem?" ou "pode indicar-me quantas vezes o seu intestino funciona, por dia?".  a primeira pergunta é vaga e necessitaria de uma explanação do que significa "funcionar bem" (do ponto de vista do intestino). a segunda pergunta é mais clara naquilo que procura: indique-me o n.º de vezes e depois podemos falar de um bom ou mau funcionamento. 

a filosofia ajuda-nos a contemplar a pergunta e a compreender o que queremos saber ao fazer as perguntas, que respostas procuramos. nem todas as perguntas perguntam o mesmo - o contexto também é fundamental para compreender o alcance da pergunta e aquilo que se lhe segue. 

 

filosofia: a arte de arriscar respostas 

a resposta surge como uma proposta de resolução de transparência. perante aquela pergunta que me apresenta um problema, arrisco algo que o pode resolver, que o pode tornar mais transparente. nem todos os problemas têm soluções: há alguns problemas que nos colocam em estado de aporia, sem um caminho claro a seguir. 

talvez isto fosse suficiente para voltar atrás e evitar a pergunta. 

não temos respostas para todas as perguntas que nos incomodam. ao longo da nossa vida, mudamos a resposta para uma mesma pergunta. ao longo da história da humanidade, avaliamos e revemos várias respostas a uma mesma pergunta. 

será que vale a pena? se não conseguimos resolver esta opacidade, que sentido tem persistir no perguntar e no responder? 

(19:40 / 24:00)

 

 

*

📚 sugestões de leitura neste link.

❤️ se reconhece valor nos conteúdos que partilho por aqui, considere pagar-me um café.

 

 

 

16 de Maio, 2022

somos as nossas ideias?

joana rita sousa

quotes_perfil_joanarssousa.png

👉 o capítulo chama-se Embracing Change e bell hooks fala do seu papel de professora que ensina sobre as mudanças de paradigmas e que se apercebe da dor que essas mudanças envolvem.


"White students learning to think more critically about question of race and racism may go home for the holidays and suddenly see their parents in a different light. They may recognise nonprogressive thinking, racism, and so on, and it may hurt them that the new ways of knowing may create estrangement where there was none."


a dor de que fala bell hooks é real e sente-se sempre que a experiência de pensar e de dialogar coloca em causa as nossas crenças, as nossas referências e as nossas ideias.

há dias falava com o Vitor Lima sobre a dificuldade de tornar presente num diálogo que estamos a trabalhar com as ideias das pessoas e não a reduzir as pessoas a essas ideias - que podem mudar quando há razões para tal. identificamo-nos com as nossas ideias e por isso é tão precioso o espaço de segurança num diálogo para podermos expor e deixar que as nossas ideias sejam julgadas pelas outras pessoas.

somos as nossas ideias?

13 de Maio, 2022

#chatP4C: uma hora de conversa em torno da filosofia para/com crianças, no twitter

joana rita sousa

1.png

[PT]

o #chatP4C é uma iniciativa da Gina e da Jane à qual me associei como participante e como moderadora da edição que acontece em língua portuguesa.

trata-se de um twitter chat que acontece em torno da filosofia para/com crianças e que conta com pessoas convidadas com quem se pode aprender e a quem se podem fazer perguntas.

no próximo dia 19 de Maio fala-se de empatia. 

para acompanhar o #chatP4C basta entrar no twitter e acompanhar a # (recomendo o uso do tweetdeck).

 

[EN] - from SAPERE's blog 

Hosted by Jane, Gina and Joana Rita Sousa from Portugal, #ChatP4C takes place on Twitter for an hour once every UK half term. Each session has a P4C theme and a special guest. A series of mainly practical questions are posed by the host and there follows some fast and furious sharing of ideas, images and experiences from colleagues in the UK, Portugal, Spain, Turkey, Australia and more. There’s also a parallel #ChatP4C running in Portuguese, hosted by Joana and using the same questions.

Previous themes include P4C and SEND, P4C and Parents, P4C and the Environment, and P4C Resources.

Want to get involved?

The next #ChatP4C is happening on Thursday 19 May. May’s theme is P4C and Empathy, ahead of Empathy Day on 9 June. The special guests will be Miranda McKearney, founder of Empathy Lab, and award-winning author Phil Earle

Jane says: “I’m delighted that #ChatP4C will have special guests from EmpathyLab UK. Empathy is such a key aspect of the caring thinking dimension of P4C. Also, the way that EmpathyLab uses literature to build empathy is of much relevance to P4C practitioners for stimuli selection.” 

Taking place between 8pm and 9pm UK time, you can join in on the night, contribute after the event, or use the hashtag #ChatP4C if you have something to share between sessions. Simply search Twitter for #ChatP4C and you’ll see the questions being shared at intervals through the hour. And if you can’t make a particular session, Joana creates a handy Twitter Moment for each one so it’s easy to catch up after the event. Many of the special guests also contribute a piece to Gina’s blog.

 

 

 

11 de Maio, 2022

do jardim de infância à escola secundária

joana rita sousa

h89T2zUh.jpg

as últimas duas semanas foram agitadas e sobretudo viajadas. tive a oportunidade de estar com crianças e jovens dos mais diversos contextos de ensino: jardim de infância, segundo ciclo e secundário. viajei até Torres Novas, Molelos, Venda do Pinheiro e Odivelas.

zRi33an9.jpg

estas viagens incluíram projectos de continuidade e também oficinas pontuais de filosofia. há algo comum nestes trabalhos e que tem a ver com a razão para eu viajar até Torres Novas ou até Molelos: as pessoas. a mãe que me recomendou por acompanhar o meu trabalho na internet ou a professora que frequentou uma das minhas formações e sugeriu o meu nome. numa palavra: recomendação. que precioso que é o passa palavra!

e que precioso que é ouvir a professora Ana a dizer que a minha newsletter é muito útil e que tem aproveitado várias das sugestões nas suas aulas.

s9IvbF-K.jpg

a filocriatividade foi um projecto itinerante desde o 1.º momento e essa característica tem-me permitido conhecer várias escolas, diferentes práticas, muitas pessoas (miúdas e graúdas) e também cidades, vilas e aldeias um pouco por todo o país (continente e ilhas). 

nos últimos anos tenho viajado muito através do zoom, o que é igualmente enriquecedor.

*

a quem recomenda o meu trabalho: muito obrigada!

 

[se pretende saber mais sobre uma eventual visita da filocriatividade à escola dos seus filhos, na biblioteca municipal ou noutros espaços, peço que preencha este formulário]

 

 

 

10 de Maio, 2022

pensar antes de gostar: redes sociais e liberdade

joana rita sousa

P1010018.JPG

 

a visita esteve agendada para Janeiro de 2022, mas uma avaria no meu carro não tornou possível a realização das oficinas de filosofia na iniciativa Janeiro Cultural do munícipio de Tondela. 

os astros alinharam-se para que no passado dia 9 de Maio rumasse a Molelos, perto de Tondela para dinamizar duas oficinas "pensar antes de gostar: redes sociais e liberdade", com turmas do 10.º ano.

tenho de agradecer à professora Ana por ter recomendado o meu trabalho para integrar a programação de Janeiro (que aconteceu em Maio). foi um gosto poder dialogar com os jovens com quem estive no anfiteatro da Escola Secundária de Molelos.

ainda que a proposta da oficina fosse igual para ambos os grupos, o rumo do pensamento colaborativo foi diferente em cada uma das turmas. essa é uma riqueza muito enorme para quem prepara estas oficinas: sabemos como vai começar, porém dali para a frente temos de estar disponíveis para seguir os interesses das pessoas que fazem parte daquele grupo. 

 

P1010001.JPG

(fotografias: Alexandra, Biblioteca Municipal de Tondela)

 

se pretende que esta (ou outra) oficina visite a sua escola, centro cultural ou biblioteca,

entre em contacto comigo através deste formulário

10 de Maio, 2022

à luz da razão - antena 2

joana rita sousa

wonderlane-_rmULTYorYQ-unsplash.jpg

 

estão disponíveis na plataforma rtp play vários episódios do programa "à luz da razão", da antena 2, com Ana Paula Ferreira. na semana passada foi partilhado o episódio sobre razão e emoção, no qual a Dina Mendonça foi convidada. 

no dia 1 de Junho o tema abordado será a filosofia para crianças, no qual tive o gosto de participar. 

05 de Maio, 2022

já fez formação em filosofia para crianças e jovens?

- procura uma comunidade com a qual possa praticar diálogo filosófico e investigar temáticas da área

joana rita sousa

FGqNEFaXsAQIJVV.jpg

encontros de prática online / grupo de estudos e de leitura (filosofia para/com crianças e jovens)

 

O trabalho na área da filosofia para/com crianças (FpcC) e jovens e/ou diálogo filosófico tende a ser algo solitário no momento em que passamos à prática ou ao desenvolvimento de aulas/sessões/oficinas dedicados ao diálogo filosófico. De forma a criar uma rede de apoio que possa ajudar cada uma das pessoas a partir do seu contexto de trabalho, a filocriatividade criou dois espaços de encontro para as pessoas que estudam ou estudaram nesta área e/ou desenvolvem investigação.


Os Diálogos Filosóficos #filocri são espaços de prática do diálogo. Em cada encontro, uma das pessoas do grupo propõe-se a facilitar um diálogo para o grupo poder treinar.
Tem uma frequência bimensal e acontece em formato online, de forma a permitir o encontro de pessoas de várias geografias.
Destes encontros já resultaram ideias e sugestões para dinamizar aulas/sessões/oficinas de filosofia, bem como para a criação de projectos junto de entidades escolares e não escolares. Além disso, os encontros também proporcionaram uma reflexão fundamental para a redação de um artigo que aborda questões em torno da razoabilidade.


Grupo de Leitura e de Estudos #filocri pretende ser um espaço de leitura de artigos e de discussão dos mesmos num encontro que acontece na última sexta-feira de cada mês. No início do mês é partilhado o texto com o grupo, bem como o acesso ao link zoom para o encontro.

 
Ao inscrever-se nestes grupos será integrada/o num Google group através do qual fazemos a comunicação das datas, dos textos e daquilo que for necessário para cada um dos encontros.


Se pretende juntar-se a uma comunidade de pessoas interessada em treinar o diálogo filosófico e em aprofundar tópicos relacionados com a FpcC, espreite os seguintes links:

- Diálogos Filosóficos https://bit.ly/dialogosfilosoficos
- Grupo de Estudos https://bit.ly/grupo_estudos_filocri

 

05 de Maio, 2022

CALL FOR QUESTIONS!

joana rita sousa

vagas (Instagram Story) (1080 × 1350 px).png

às quartas partilho no instagram uma pergunta para convidar quem passa pelo feed a parar para pensar - e responder.

hoje lanço o desafio às pessoas que acompanhem este blog: partilhe neste formulário uma pergunta pela qual tenha um interesse genuíno e que seja suficientemente ampla para poder "incomodar" outras pessoas ao ponto de arriscarem uma resposta (ou outras perguntas). 

vamos a isso? quem está disponível para partilhar uma pergunta? será que os vossos filhos ou alunos têm alguma pergunta para partilhar?

as perguntas serão recolhidas e partilhadas nos meses de junho e julho, no instagram.

#umaperguntapordiaFILOCRI