Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

filocriatiVIDAde | filosofia e criatividade

oficinas de perguntas, para crianças / para pais e filhos | formação para professores e educadores (CCPFC) | #filocri | #filopenpal

filocriatiVIDAde | filosofia e criatividade

oficinas de perguntas, para crianças / para pais e filhos | formação para professores e educadores (CCPFC) | #filocri | #filopenpal

"joana, o que fazes?"

tumblr_p4i050O9pQ1qhzqx6o1_500.jpg

 

às vezes convidam-me para partilhar aquilo que faço em filosofia para crianças. e lá vou eu, de mochila às costas, com livros, jogos e também histórias para contar. histórias que recolhi do trabalho em AEC, do trabalho com os amigos do taekwondo, em jardim de infância e por aí fora.

 

10 anos 

são 10 anos de projecto, 10 anos com muitas viagens e kms que me levaram a conhecer crianças, jovens e pessoas crescidas curiosas com "isso" da filosofia. faial, funchal, são miguel, portalegre, lourinhã, famalicão, braga, nazaré, rio de mouro, sintra, palmela, carnide, santo antónio dos cavaleiros, alfragide, odivelas, benfica, lisboa, aveiro, madrid, porto e maputo - estes são alguns dos locais por onde o meu projecto filocriatiVIDAde já passou. 

neste processo houve muitos projectos, ideias que se transformaram em encontros de filosofia, desafios, trabalhos em parceria - e também coisas que ficaram pelo caminho. 

conheci pessoas que trabalham e investigam nesta área, um pouco por todo o mundo. troquei ideias, partilhei dúvidas e (poucas) certezas.

são 10 anos e muitas horas a criar e a recriar desafios que transformem o pensar num jogo, de forma a conquistar as crianças e os jovens para algo que muitos de nós associam ao castigo (agora ficas aí a pensar naquilo que fizeste!). 

 

parar para pensar

pensar é divertido. parar para pensar é um desafio, é ir contra a corrente. ninguém pára para pensar. não há tempo, estamos muito ocupados e há sempre algo mais importante para fazer. fazemos muitas coisas, estamos muito ocupados e não há tempo para nada. então, vamos criar tempo. vamos criar um tempo e um espaço para as crianças e os jovens praticarem o pensar. um ginásio do pensamento. vamos marcar um dia e uma hora para isso acontecer. vamos "só" pensar. fazer perguntas. alimentar a curiosidade.

e, sim, vamos sentir-nos inseguros. vamos fugir a perguntas (e a respostas) pois isso leva-nos a tomar consciência como sabemos tão pouco sobre nada, como andamos perdidos, como não temos tantas respostas para as perguntas que julgamos óbvias e que, por isso, deixamos de perguntar.  mas isto é como ir ao ginásio: nos primeiros dias de treino os músculos vão manifestar dor, desagrado e cabe-nos insistir, persistir - não desistir. 

 

22489976_1722609587809726_3183826361955827519_n.jp

 

afinal, somos muitos 

fiz uma pesquisa rápida no youtube com as palavras philosophy, philosophy for children. e encontrei estas talks de outros, loucos como eu, que se afirmam como filósofos e que andam por aí a "espalhar a palavra" e a filosofia para crianças (e jovens, e pessoas crescidas).

partilho convosco:

 

amy leask

leslie cazares

sara goering

pete worley

patrick gentempo

joana rita sousa (sim, eu!!!) 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

oficina de filosofia e criatividade, no Porto e em Lisboa: o que é o amor?

26907530_10154888788656548_111252540405086766_n.jp

 

O QUE É O AMOR?

 

Podemos amar um amigo, os pais ou alguém que não conhecemos? 
Como é que sabemos que amamos alguém?
Amar é uma coisa séria ou é uma coisa que faz rir? 
Aliás, amar é uma coisa? É um sentimento?

Nas oficinas procuramos identificar problemas, sob a forma de perguntas, para investigar em conjunto. 
Podemos fazê-lo através da leitura de um texto ou de uma notícia de jornal, de uma situação vivida pelas crianças ou até de imagens, vídeos. Os recursos podem ser diversos e devem ser adaptados às idades das crianças com as quais vamos trabalhar. A partir daí, constroem-se condições para o diálogo, estabelecendo algumas regras, como por exemplo, para falar, pedimos a palavra (colocamos o braço no ar).

‘Costumo dizer que estas oficinas equivalem a um treino de ginásio: em vez dos músculos do corpo, trabalhamos os músculos do pensamento’ »

Joana Rita Sousa, Filósofa, facilitadora e formadora na área de filosofia para crianças e criatividade, desde 2008. (Filocriatividade - Filosofia e Criatividade)

 

 

Duração: 45 a 60 minutos | Para crianças dos 6 aos 10 anos
Valor inscrição: 10,00€
As inscrições deverão ser efetuadas, na própria livraria, até dois dias antes da data do evento.

Informações: leitor@bertrand.pt

 

10 de Fevereiro, sábado, às 11h

na Livraria Bertrand Shopping Cidade do Porto 

 

dia 17 de Fevereiro, sábado, às 11h

na livraria Bertrand do Chiado 

 

 

filosofia no jardim de infância

26804499_1697167180303522_7714817692632320136_n.pn

26815213_1697167183636855_5908820125524444816_n.pn

 

hoje demos continuidade ao trabalho iniciado em dezembro.

sim, aconteceu muita coisa desde a última vez que nos sentámos para filosofar. a verdade é que nos lembramos de muitas coisas que dissemos, das dúvidas, das certezas, dos passos que damos para a frente e para trás.
foi um dia de descobertas: não é que existem sereias verdadeiras? e reis? sabem onde os podem encontrar? no Algarve!

em fevereiro voltamos a sentar-nos à volta da filosofia.

 

"o que é uma pergunta?"

tumblr_p1onj772U71qhzqx6o1_500.jpg

 

em roda, sentados no chão, colocámos mãos à obra nesta coisa do "filosofar". 

muita curiosidade para saber o que ia acontecer nesta oficina (humm o que será que se arranja ou conserta por lá?) e depois de algumas perguntas e respostas sobre a oficina e a filosofia, o jogo foi lançado.

 

o que é uma pergunta? - e um desafio: vamos encontrar critérios para dizer que uma pergunta é uma pergunta.

 

partilho convosco algumas ideias que registámos e que nos deram algum trabalho aos músculos do pensamento:

 

critérios:

 

1 - ter ? (ponto de interrogação)

2 - ser uma interrogação sobre um tema 

3 - deve ler-se com entoação (no decorrer da conversa percebemos que havia uma ligação entre esta e a 1 - precisamos do ? para ler ou não com entoação)

4 - tem sempre uma resposta (aqui ficámos em dúvida se seria uma ÚNICA resposta ou UMA resposta possível; não resolvemos esta questão)

5 - quando temos uma curiosidade

6 - precisamos de saber alguma coisa 

 

ficaram perguntas e problemas para resolver (por exemplo, se a curiosidade e o precisar de saber algo aparecem em conjunto ou separados) e a vontade de dialogar foi imensa.

 

obrigada, andreia, por teres feito a ponte com o espelho do saber! espero voltar a sentar-me no chão para filosofar com esta malta gira, bem disposta e super curiosa! 

 

 

 

 

 

 

 

mais uma voltinha, mais uma viagem pela filosofia [no jardim de infância]

tumblr_p0wjadF1jn1qhzqx6o1_500.jpg

 

tumblr_p0wmaroKGj1qhzqx6o1_500.jpg

 

 

o natal está à porta e há muitas purpurinas no ar. nas salas há árvores de natal, umas a fingir e outras a sério. 
hoje estivemos a dar voltas no nosso pensamento sobre os coisas que existem "a fingir" e coisas que existem "a sério".
ouvimos e demos ideias, partilhamos dúvidas e até houve momentos em que sentimos alguma confusão. faz parte!
nada como parar para pensar e ouvir os "porquês".

voltamos a filosofar em Janeiro.

boas festas a todos! 

filosofar no festival de filosofia de abrantes

a biblioteca antónio botto acolheu as turmas do 1º ciclo, de abrantes e do sardoal, que se juntaram ao festival da filosofia de abrantes. eu e a renata sequeira também tivemos a oportunidade de ir às escolas para filosofa com os cachopos. 

foram vários os temas e as perguntas que serviram de provocação ao pensar, a saber:

 

o que é uma pessoa?

"coisas" que existem / "coisas" que não existem

o que é uma pergunta?

o lobo mau é mau?

perguntas com sentido / perguntas sem sentido  

 

 

tumblr_ozd112RxSa1qhzqx6o1_500.jpg

o trabalho pontual 

 

neste casos em que o trabalho é pontual e a oportunidade para trabalhar com estas crianças é única, a minha opção é a de levar meia dúzia de jogos que funcionem como provocação filosófica para as crianças. aconteceu, numa das oficinas, que o tema trabalhado surgiu a partir de uma partilha espontânea da história do capuchinho vermelho e do lobo mau. afinal, o lobo mau é mau ou faz coisas más? - foi esta a grande questão que serviu de orientação ao nosso diálogo. 

 

a minha postura enquanto facilitadora também passa por acelerar algumas coisas no sentido de haver uma experiência efectiva do diálogo filosófico. sim, há momentos de conversa - os primeiros minutos servem para dizermos os nossos nomes e enquadrarmos a actividade. brincamos com a palavra filosofia, por exemplo. o que é? já ouviram falar? e o jogo ou a pergunta aparecem no centro, para que haja lugar ao diálogo.

 

nestes momentos é visível quando o grupo já tem uma prática de diálogo, de cumprimento das regras (dedo no ar, esperar pela vez, parar para pensar). quando essa prática não existe, há algum caos que o facilitador tem que gerir. se não nos ouvirmos, não conseguimos pensar e conjunto. se colocamos o braço no ar quando a pergunta vai a meio: será que sabemos mesmo responder? 

 

tumblr_ozf8moJqb01qhzqx6o1_500.jpg

 o que é uma pessoa: o félix, sempre o félix

 

no jogo "o que é uma pessoa?" há uma personagem que desempenha um papel fundamental. é o félix, o meu cão rafeiro, adoptado na uppa e cuja fotografia faz parte dos elementos deste jogo. perante a indicação de alguns critérios perante os quais o félix "passou" como pessoa e perante o conhecimento de que ele é um cão e que apresenta diferenças face às pessoas; após este percurso, surgiu a pergunta:

"e se criarmos um círculo no meio para arrumar os mais ou menos (=os que são pessoa e não são pessoa ao mesmo tempo)?"

e eis que o sr. venn (os dos diagramas) foi convidado para uma oficina de filosofia, com alunos do 1º e do 2º ano

 

tumblr_ozf8tuWFGB1qhzqx6o1_500.jpg

porquês!

 

"o porquê é importante porque às vezes temos ideias e não sabemos explicar."
"com o porquê não dizemos as coisas ao calhas, temos mesmo que pensar."

 

*

 

foi uma semana intensa, com muitos desafios para pensar. não me canso de dizer que, para mim, este trabalho é divertido e um óptimo ginásio para os músculos do meu pensamento. 

 

nesta primeira edição do festival de filosofia de abrantes (e digo primeira pois espero que se sigam outras) houve lugar a filosofia espalhada pelas montras da cidade, instalações artísticas, performances de teatro, debates, leituras. o programa foi recheado de bons momentos e só posso dar os parabéns à organização, pelo convite, pelo acolhimento e pela boa energia com que "contaminaram" os abrantinos e todos aqueles que passaram pela cidade, de 10 a 19 de novembro.

 

até breve, abrantes!

 

a filosofia, esse mar de porquês e de perguntas. e sabe tão bem navegar em boa companhia!

oficinas de filosofia, para crianças, em abrantes

tumblr_ozcuu00r4L1qhzqx6o1_500.jpg

 

tumblr_ozd112RxSa1qhzqx6o1_500.jpg

 

a filosofia está espalhada um pouco por toda a cidade de abrantes: nas montras, na praça, na biblioteca, nas escolas.

hoje tive a oportunidade de trabalhar com duas turmas do 1º ciclo, sobre os temas "o que é uma pergunta?" e "de onde vêm as coisas?" 

 

mais importanto do que aquilo que dizemos, em jeito de "conclusão" ou de "resposta" é mesmo o processo que nos leva até lá. esse só é possível reproduzir na sua inteireza quando a oficina é gravada e depois transcrita. sem ter condições para tal, limito-me a registar, em folhas, alguns dos pontos que nos fizeram avançar ou não, no diálogo. e sim, também "arquivo" ideias e perguntas. eis algumas: 

 

"o tempo existe porque os humanos tiveram a ideia de construir relógios."

 

 

"o tempo vem da invenção humana."

 

 

"quando a primeira pessoa do mundo nasceu, o tempo começou a existir."

 

 

"o relógio pode estar a funcionar e não haver tempo"

 

como é que sabemos que o tempo existe?

"vemos pelo dia e pela noite, e depois o dia e a noite"

(ao que o G. diz)

"o tempo que se decida, está sempre a mudar!"

 

 

 

 

no instagram ou no twitter, acompanhem a hashtag 

a oficina do platão voltou ao centro ser mais...

tumblr_oyg2gu9hQe1qhzqx6o1_500.jpg

 

...e a pergunta que estivemos a trabalhar foi "o que é uma pergunta?"

 

o ponto de interrogação é suficiente para podermos dizer que uma coisa é uma pergunta? se eu tiver um ponto de interrogação desenhado no meu braço, será que isso faz do meu braço uma pergunta? 

 

das perguntas "pessoais" às "impessoais" - esta oficina teve muitas interrogações, questões e perguntas.

 

estamos a usar sinónimos? e não está a ajudar a perceber o que é, afinal, uma pergunta - pois não?  

 

vamos ter que continuar a fazer perguntas à pergunta. 

 

regressamos ao centro ser mais (em telheiras) no dia 26 de outubro. 

informações: 968 222 980 | 914 257 323

 

 

tumblr_oyg2c16Bu41qhzqx6o1_500.jpg

 

 

festival de filosofia de abrantes :: em novembro

22688675_1920874924620033_2119015948881446462_n.jp

o dia mundial da filosofia (UNESCO) é comemorado na terceira quinta-feira do mês de novembro - abrantes junta-se à festa e brinda-nos com muitas actividades, para miúdos e graúdos.

 

para saberem mais consultem a página do festival, no facebook e/ou informem-se através do e-mail abrantes.comunicacao@cm-abrantes.pt

 

 
O Festival de Filosofia de Abrantes quer ser uma praça aberta. Pretende convocar-nos a refletir e marcar posição. Pretende reunir políticos e intelectuais. Dar-lhes voz e fazer-lhes perguntas. Trazer os cidadãos aos problemas e às soluções.

livros para pensar (I)

É Um Livro - www.wook.pt

livros para pensar (II)

O Livro Negro das Cores - www.wook.pt

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

@ creative mornings lx

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D